First  Prev  1  2  Next  Last
Post Reply O segredo do sucesso
Portuguese Moderator
28122 cr points
Send Message: Send PM GB Post
30 / M / Pernambuco/Alagoas
Offline
Posted 5/12/14 , edited 5/12/14
Oi Povo,

Mais um tópico interessante. Mas vou dar um critica:


FabioLuz wrote:
Baixar da internet e armazenar no HD? Proibido! Copiar mídias e guardar? Proibido! Então não tem jeito: se realmente quiserem, eles têm que comprar.


Desculpe FabioLuz. Mas você tá sendo bastante idealista e relativamente inocente.
Sei que em boa parte é uma analise numa situação ideal. Mas no Japão existe pirataria também e não é fraca é apenas muito menos escancarada e comercial do que aqui. A diferença principal é que lá eles combatem com punho de ferro as que eles encontram. Mas se fosse tão eficiente assim, não teríamos pirataria de animes aqui, pois ninguém conseguiria repassar.

Na verdade existe um caso interessante na industria fonográfica, que deixou uma grande duvida no quanto a pirataria realmente é danosa ou se ela realmente foi tão bem combatida como se pensou lá:
http://livrenavegar.com.br/2013/10/pena-de-prisao-para-piratas-nao-aumenta-a-venda-de-musicas/

O que acontece mais é que, como já dito por muitos, o poder aquisitivo deles é muito maior e diferente de nós eles possuem um mercado com tendência deflacionária. Juntando isso com o punho de ferro na pirataria, ela tende a ser menor e mais inviável por lá. Mas ainda existe nas sombras.

Eu pessoalmente tenho uma visão diferente sobre a pirataria. Onde pra mim ela não é um simples crime contra o autor. Mas algo muito maior e mais complexo a ponto de considerar como um fenômeno mercadológico causado por vários fatores diferentes. Mas isso é assunto pra outro tipo de tópico.

Quanto ao fazer sucesso de um anime. Como disseram antes, se fosse simples todos faziam sucesso. Ninguém sabe ao certo qual será, provavelmente nunca vão saber, produtoras vão tentar sua receitas diferentes, seja produzir animes interessantes, ou propaganda, ou para vender produtos ou qualquer outra forma para conseguir lucrar. Mas no fim, a sorte ainda é um fato primordial.

Mas há um fator novo que pode ser bem interessante. Com a criação e o crescente sucesso de serviço oficiais de streaming no mundo (como a CR por exemplo), o mercado de animes está começando a querer sair do ninho e conhecer um mercado com um potencial enorme que é o mundo.

E pode acontecer, por exemplo, como o mercado dos games. Que ainda é muito forte por lá. Mas hoje, quem dita a regra deles é o mundo e não apenas o Japão. Se o mesmo acontecer com animes, mangás e novels a formula do sucesso vai mudar completamente e animes que não renderam nada lá podem render rios de dinheiro no resto do mundo e tudo pode ficar muito mais interessante.
Mas isso é apenas uma suposição minha para o futuro, que quem sabe se realize um dia.
Redator de Notícias
16123 cr points
Send Message: Send PM GB Post
42 / M
Offline
Posted 5/13/14 , edited 8/2/14
Yuriccp, como você disse "A diferença principal é que lá eles combatem com punho de ferro as que eles encontram" e foi nesse sentido que eu disse. Eu nunca disse que os japoneses também não compactuam com os caras de tapa olho, mas pelo menos há controle das autoridades, não virou uma terra de ninguém como no Brasil. Mesmo porque, a situação da indústria de animes lá já não está grande coisa devido à crise no Japão. E se deixar a pirataria correr solta aí é que o caldo entorna.

Deixo uma reportagem abaixo em que me baseei: http://blog.suri-emu.co.jp/?p=6935

E a sua reportagem infelizmente corrobora algo que está se difundido de maneira nociva no mundo: a chamada "apropriação indébita" de direitos autorais alheios. E a coisa no Japão só não é pior porque, como você disse, "o poder aquisitivo deles é muito maior e diferente de nós eles possuem um mercado com tendência deflacionária"

Mas, moralmente falando, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. E, como eu disse antes: "Tudo lhe é permitido, mas nem tudo lhe convém."

Idealista e inocente? Talvez, mas ouvir a desculpinha esfarrapada de "por que comprar se posso baixar de graça" , ou seja, exaltar a Lei de Gérson, é de causar revolta.

Redator de Notícias
16123 cr points
Send Message: Send PM GB Post
42 / M
Offline
Posted 8/2/14 , edited 8/2/14
Decidi reativar esse artigo e anexá-lo ao especial do Ario-kun. Acho que os dois se complementam:

http://www.crunchyroll.com/anime-feature/2014/08/02/um-dos-problemas-da-indstria-dos-animes

Leiam os dois e tirem suas conclusões.
Posted 8/3/14 , edited 8/3/14
Olá! Vou deixar dados aqui para fomentar uma discussão melhor. A Toei divulgou o balanço operacional deles (01 de abril de 2013 a 31 de março de 2014). Isso mostra como anda o mercado por lá e demonstra que nem só de vendas de DVDs e Blu-Rays vive uma série! Eu também achei bacana, pois mostra que as empresas japonesas trabalham com planos quinquenais, ou seja, tudo que nós vemos hoje foi discutido com a diretoria 5 anos atrás. Também mostra que, quando bem elaborado, o plano dá certo. No respectivo período, a Toei fechou acima do previsto no plano, com a marca de 31 bilhões de ienes, ou 684 milhões de reais aproximadamente. Apesar de ter fechado com uma faixa de lucro menor que o ano passado, ainda ficou acima do esperado. Para 2015, as previsões são de queda.





E isso é apenas a Toei Animation, não leva em conta a indústria de sentais e filmes live-action da empresa. Já neste quadro abaixo, a Toei demonstra que o segmento de filmes, televisão e direitos de distribuição (vendas internacionais- overseas) cresceu graças a Saint Seiya, Harlock e Kyousogiga. Já as vendas em DVD e Blu-Ray tiveram uma queda. Eles justificam a queda pela ausência de pedidos em vídeo e máquinas de vídeo game (Pachinko eu acho). O que pode preocupar os fãs de One Piece é que o relatório aponta uma queda nas vendas de produtos da franquia dentro do país, embora ele esteja indo bem no exterior.





Dá para perceber também que as vendas em home vídeo são apenas trechos de um lucro maior. Tanto a Toei quanto as outras empresas trabalham suas séries em diversos nichos (jogos de carta, pachinko, character goods, lojas especializadas, direitos de exibição, "social games" ...), então, o mercado japonês é bem mais complexo do que se imagina. Depois de ler esse relatório operacional, fico imaginando até que mesmo que um filme vá mal em bilheteria, se ele vender bem em outras áreas, ele pode se pagar facilmente.

http://corp.toei-anim.co.jp/ir/201403_4Q_presen_e.pdf

http://www4.bcb.gov.br/PEC/CONVERSAO/CONVERSAO.ASP

Desculpem, acabei escrevendo mais do que esperava. Espero ter contribuído!
Portuguese Moderator
28122 cr points
Send Message: Send PM GB Post
30 / M / Pernambuco/Alagoas
Offline
Posted 8/3/14 , edited 8/3/14
Tem coisas interessantes ai.

A primeira é que diferente do que eu imaginava, o ganho deles direto com as obras, ou seja exibição, ainda é maior do que o restante e vem crescendo.

A outra que overseas de um ano pra outro quase que dobrou de um ano pra outro e individualmente passou do ganho em direitos de TV, Filmes e BD/DVD.

Na verdade, baseado nestes dados, está acontecendo como o Ario-kun citou no artigo dele. O mercado de animes está mudando e a resistência das próprias empresas japonesas é quem tem atrapalhando o ganho delas mais do que qualquer outro fator.

O publico local deles, está diferente e eles precisam se adaptar a isso, e mais importante o publico estrangeiro deles é imenso e tem muito potencial que eles tem subestimado. Mas ainda assim, ele de um ano para outro, passou individualmente todos os outros ganhos diretos com a transmissão e venda da obra que eles tem por lá.

Por isso este subito interesse deles em caçar os piratas mundo a fora. Finalmente está caindo a ficha pra eles de que o mundo é muito maior do que o Japão.

O problema porem é que tudo isso tá acontecendo muito rapidamente, eles ainda precisam aprender a se acostumar com todo esse novo público. Um publico que quer assistir tudo, quando quiser, como quiser, com toda a qualidade e pagando o mínimo possível.

O que me impressiona também é que o publico japonês também tem feito parte desta mudança. Foi interessante saber que eles re-importam as próprias obras simplesmente porque não querem mais pagar uma grana preta por elas.

E um viva a internet por isso tudo. Agora quero ver como eles vão fazer para se adaptar a um mundo conectado onde quem dita é quem consome e não mais quem produz.
Posted 8/4/14 , edited 8/4/14

yuriccp disse:

A outra que overseas de um ano pra outro quase que dobrou de um ano pra outro e individualmente passou do ganho em direitos de TV, Filmes e BD/DVD.


É verdade! Assim que eles começaram a investir em uma melhor distribuição internacional, o negócio deu um pulo gigantesco! E isso se refletiu no gerenciamento de Sailor Moon. A série está tendo um tratamento internacional. Até as músicas tema da série já estão disponíveis em mais de 140 territórios! Eles estão percebendo que a distribuição em diversos territórios é tão preciosa quanto o mercado interno. Espero que continue assim.

Achei incrível, também, a força de Saint Seiya! O filme não tinha estreado e ele já estava aumentando a receita da empresa. Isso significa que o filme já estava sendo negociado antes mesmo de estrear e já estava dando retorno. Eita!
First  Prev  1  2  Next  Last
You must be logged in to post.