First  Prev  1  2  Next  Last
Post Reply Poesia do dia ~
12986 cr points
Send Message: Send PM GB Post
31 / M / São Paulo
Offline
Posted 2/10/17 , edited 2/10/17
Hoje consegui fazer um poema em versos bem curtos e irregulares, mas saiu um dos primores dessa nova leva de poemas que estou compondo.

Torre cibernética:

São as ruas desertas
como num bolero
, após o fim da dança.
Solitária se precipita
a primeira gota
de uma chuva
torrencial. Alagando
as calçadas. ‘Las calles
de la pluvia estan llenas”.
O espetáculo dura
por um tempo longo.
Até o fim da dança,
os únicos espectadores
são os sem-teto a estender
suas línguas sedentas.
Após uma chuva
em um tempo
quente, sufocante
o que sobram são
os restos da vida
das ruas sufocantes.
Diz-se que há esperança
pelo chavão que nos diz:
“A hora mais escura precede
o amanhecer.”. Quem dera.
Após a chuva mais longa
e forte, o sol bate com o
mesmo vigor de antes.
Sem cessar. Jamais.
Sufocado, diz socorro
em meio ao incenso
fumegante aquele
que observa aos outros
hipócritamente de sua
janela. Ah, ora, ora!
Quem diria, afinal.


PS: Desculpem os post duplo ,mas resolvi dar um UP aqui. Fora que acho que editar não seria bom.
First  Prev  1  2  Next  Last
You must be logged in to post.