Henshin + 2014 e o mercado editorial brasileiro

"Mas conseguimos achar histórias que vão dar orgulho de publicar"

 Henshin +

 

Durante a segunda palestra do evento Henshin + 2014, que começou após uma pequena pausa depois do lançamento de Sailor Moon, Cassius Medauar e os editores Marcelo Cassaro e Guilherme Kroll falaram um pouco sobre o mercado nacional de quadrinhos.

 

Kroll começou explicando as dificuldades que rodeiam quem quer publicar quadrinhos no Brasil. É difícil trabalhar com grandes livrarias quando se quer editar coisas novas, sair do mercado já famoso e tentar quadrinhos diferentes. Mas ao passo que havia grande receio em se trabalhar com algo diferente, como Holy Avenger, foi justamente o sucesso desse mangá que deu a oportunidade para Cassaro trabalhar com Maurício de Souza, grande nome dos quadrinhos nacionais.

 

 

 

 

 

E num país que não possui uma boa base educacional que incentiva a leitura, tudo se complica ainda mais. Esse fator se refletiu diretamente no concurso de mangás da editora. O Brazil Manga Awards recebeu 180 mangás, a grande maioria com um traço muito bonito. No entanto, a qualidade dos roteiros decepcionou bastante.

 

Com uma média de 1 livro por ano, o brasileiro lê muito pouco e assim se torna incapaz de criar boas histórias, se limitando a copiar fórmulas já famosas como Naruto e Dragon Ball, segundo os editores. E, ainda segundo eles, não adianta pensar que sabe tudo sobre como fazer um mangá simplesmente por ser fã de Bakuman. O mercado editorial é muito mais que isso.

 

 

 

 

 

Pelo menos 20 mangás inscritos chamaram a atenção dos profissionais da JBC, e eles divulgaram os vencedores do concurso nessa segunda parte do evento: Pedro Leonello, Carlos Antunes, Francia Ortolan, Ivys Portela e Daniel Ferreira.


Com esse concurso a JBC pretende criar uma base de leitores e já confirmou uma segunda edição para o BMA, apesar de uma possível 3ª edição ainda ser incerta. Haverá evento da editora para divulgar o lançamento dos mangás vencedores e os aspirantes a mangaka que ficaram do 6º ao 12º lugar receberão menção honrosa no site da Henshin.

 

Ao final dessa segunda parte do Henshin + 2014, o público participante pôde fazer perguntas ao editores. O mistério ao redor do mangá sobre Steve Jobs ainda se manteve presente com respostas vagas da parte dos editores. Sobre mangás de esporte, eles explicaram que a dificuldade em trazer mangás desse gênero para o país é devido a sua falta de público. Um mangá como Super Onze é facilmente impulsionado por uma Copa do Mundo, mas o mesmo não se aplica a Kuroko no Basket ou Daiya no A.

 

Para finalizar, uma preciosa dica dos editores da JBC para o próximo Brazil Manga Awards:

 

 

 

 

Todo o evento está sendo divulgado simultaneamente através das redes sociais e você pode acompanhar em tempo real pelo twitter da Henshin +, do Gyabbo e do Jbox ou pode ver logo mais as informações de uma só vez aqui, na CrunchyNotícias.


Swyyy é editora-chefe da CrunchyNotícias pela Crunchyroll.pt. Encontre-a no twitter @SwyTeofilo.

Other Top News

0 Comments
Be the first to comment!
Sort by: