Review do Redator: Akame ga Kill

"Um símbolo sozinho pode não representar nada, mas se todos se juntam, um símbolo pode significar muito, pode significar a mudança de um pais". V

 

Você sempre teve certeza do que quis fazer da vida? Seu querido sensei, no jardim de infância, quando lhe fizera aquela pergunta sobre o seu futuro, a ideia já estava certa na sua cabeça? Você manteve essa ideia conforme cresceu e aprendeu mais sobre a vida? Conseguiu realizar exatamente o que sonhou em sua infância ou pelo menos metade do que gostaria? Não seria de se espantar se a resposta for não, o que levaria qualquer um a surpresa seria o contrário, num mundo em que o povo precisa se submeter aos sonhos de uma minoria alienada, corrupta na alma e amedrontada com a imensidão de gente que cada vez mais povoa o planeta, a escravidão neste século de Akame ga Kill atingiu um novo patamar em que até o primeiro e único Reich seria obrigado a admitir sua genialidade, um movimento sutil que domina o indivíduo em seu coração, e a única força que faz contra ele que o força a realizar todas as vontades da burgesia, não mais é fruto do dançar do “Sjambok” em sua carne, mas a inevitabilidade de sua miséria financeira e morte consequente por inanição, numa solidão dolorosa e fria que nem os corações partidos ousariam imaginar.

 

 

Não demorou muito para Tatsumi se dar conta da situação difícil da Capital, não só não encontrou seu lugar como membro do exercito, como também viu seus sonhos se perderem no escuro das ruas desoladas e frias...



Tatsumi aprende que o medo se tornou a arma principal da Capital...seu desejo de lutar por seu vilarejo, entretando, é o que o leva a persistir no caminho da espada.

 

 

Descobrir a própria vocação é uma tarefa impossível nesta era, e o que se faz é acreditar nas mentiras que contam, ou nos elogios que não fazem sentido, numa capital governada por um chanceler ensandecido, as pessoas tendem a seguir as ordens sem hesitar, e por muitas vezes ainda acabam sendo sacrificadas em praça pública por mera validação do medo e do domínio tirânico, ou ainda enclausuradas pelos burgueses em calabouços de tortura e contaminação por injeções de "Luboria". Vocação para alguma coisa neste mundo chega a ser um incômodo, a habilidade de um indivíduo pode fazer com que se destaque, ganhe reputação, riquezas e com isso poder para tomar decisões, influenciar pessoas, interferindo assim no trabalho de domínio absoluto da capital.  Convencer (ou forçar) as massas quando se tem o poder é muito mais fácil que convencer apenas uma pessoa (Mussolini), mas a determinação do indivíduo é ainda assim inalcançável, não tem relação com argumentação, nem fatores externos e influenciáveis, não pode ser inserida, não pode ser criada por outro, é intrínseca, é a escritura da alma no indivíduo, é sua expressão máxima de individualidade, o transe de seu ser, o êxtase desvairado de seu ego, e é sobre tal manifestação individual que a Night Raid reuniu seus grandes fomentadores da revolução civil. 

 

 

Não demora muito para que um povo oprimido por uns poucos, sobre tais babáries e injustiças, se levantem contra o Estado para restaurar o poder democrático. "V" justifica muito bem a ação da Night Raid: "A anarquia ostenta duas faces: a de destruidores e a de criadores. Os destruidores derrubam impérios, e com os destroços, os criadores erguem mundos melhores". 

 

 

Todos viam o quanto ela era desastrada, parecia muito calma mesmo assim, era perseguida por sua fragilidade, e ao mesmo tempo nunca seria alvo da Capital pois sua com sua personalidade, não seria capaz de fomentar a revolução. Entretanto, a descoberta de seu talento se deu ao defender sua amiga da morte, e tudo fez sentido no momento em que ela compreendeu que aquele parafuso a menos....


 

Para aquele que encontra sua vocação e seu talento, o mundo antes que se apresentava sem muito sentido e em cores variando apenas em cinza, passa a mostrar um brilho e coral nunca antes visto, é um momento de iluminação único, um momento tal em que as dores do mundo e o peso nos próprios ombros passam a não significar nada, nem toda experiência vivida até ali passa a ter qualquer importância, nem tampouco os próprios medos causam qualquer efeito, e a possibilidade toma o lugar dos sonhos para movimentar o corpo ao próximo e primeiro passo para realização de si mesmo. Somente os que atingiram tal nível de iluminação podem dizer, com absoluta confiança, que a única recompensa para o trabalho de aperfeiçoamento de si mesmo e de seus atributos e talento nato é a visualização da própria satisfação espelhada nos olhos do outro. Não há riqueza neste mundo que possa pagar esse momento, pois é parte da satisfação da própria alma e seu sentido de vida, ao menos que os deuses desçam dos céus para ter com os homens.

 

 

 

O ultimo suspiro de Sheele e a satisfação de ter atingido seu propósito, de poder ajudar até o ultimo instante, a prova para si mesmo de sua utilidade sem fim, insubstituível, seu desvanecer heróico marcado para sempre nos ideais da revolução civil. 

 

 

O momento em que Tatsumi descobre que seus acolhedores eram na verdade os torturadores dos seus amigos de infância, aqueles que com ele saíram do vilarejo para a cidade em busca de uma capital rica e evoluída na política aristotélica, ou na riqueza da república platônica, a vida lhe passou pelos olhos como passa para aquele que visualizou o fim de sua vida e teve para com o ceifador, de certa forma Tatsumi morreu ali, sua ingenuidade se derramou por entre seus dedos levada pelo sangue contaminado de seu amigo torturado, a morrer em seus braços, pelo prazer de uma burocrata doente por carnificina e xenofóbica. Tatsumi e a espada se tornam um só, e o golpe desferido naquela noite não cortou apenas as mechas douradas entre os olhos azuis e face rubra da torturadora de seus entes queridos, mas o coração daqueles da Night Raid que ali estavam presentes, levando Tatsumi a sua inevitável admissão no grupo da revolução civil que almeja salvar o País. 

 

 

 

 

Caminhar pelas nuvens da realização pessoal em sua vocação é tal como ter para com os deuses, e não é diferente para os revolucionários da Night Raid, munidos de suas lendárias fardas imperiais, enfrentam a tirania do paradigma da capital, dia após dia, sobre o sangue de seus adversários e também amigos, companheiros da causa, unidos pelo coração compartilham tudo e também suas perdas, e não seria de se admirar que viessem a morrer demasiadamente cedo, um ou outro,  mas o legado permanece, o ideal é etéreo, a morte inevitável, o sofrimento é certo, mas o sonho de revolução e sua vocação para realizá-lo intrínseco, um ideal inabalável, ou nas palavras de "V", "um homem pode morrer, lutar, falhar, até mesmo ser esquecido, mas sua idéia pode modificar o mundo mesmo tendo passado 400 anos". 

 

 

 

***

 

Confira a maior revolução civil da história da Capital em Akame ga Kill aqui, na Crunchyroll.pt. 

 

 


Datatsushi é redator da CrunchyNotícias para a Crunchyroll.pt e é apaixonado por anime, comida japonesa e cultura asiática. Acompanhe seu atual projeto no youtube Drag-On Dragoon 3 e seus outros vídeos.  Você também pode segui-lo no Twitter @_datatsushi_

0 Kommentare
Schreib den ersten Kommentar!
Sortieren nach: