[Coluna] O Digimundo foi repaginado! Reboot de Digimon Adventure parece entender como atualizar uma história datada

Com os personagens clássicos, Digimon Adventure: promete uma nova trama muito bem adaptada ao mundo atual

ATENÇÃO: Este texto contém alguns spoilers dos primeiros dois episódios de Digimon Adventure:, continue por sua própria conta e risco. Além disso, a opinião da redatora não representa uma posição oficial da Crunchyroll.

 

Chegamos a mais um edição da minha coluna quinzenal e dessa vez vamos falar de coisa velha que também é coisa nova: Digimon Adventure: (com dois pontos), o reboot de Digimon Adventure (sem dois pontos). Primeiramente, já aviso que assisti o anime original na minha infância, mas não acompanhei as sequências e nem as tentativas mais recentes de “reviver” os personagens mais conhecidos da franquia, como Digimon Adventure tri..

 

Resolvi dar uma chance para esse reboot sem muito ânimo, já que a série nunca foi tanto a minha praia. Não sei quais renovações a Toei já fez nas últimas produções de Digimon, mas o que encontrei nessa nova série foi a promessa de um bom reboot.

 

digimon 2020

 

Trazer Digimon Adventure (1999-2000) para 2020 é uma baita mudança, muitas coisas já não fariam mais sentido. Uma série intrinsecamente ligada com o “mundo digital” precisa ser repensada já que, nos últimos 21 anos, nossa relação com a tecnologia mudou completamente.

 

Digimon originalmente era um brinquedinho de bichinho virtual, ao estilo Tamagotchi, uma febre no final dos anos 90, que hoje sequer deve fazer sentido para a criançada. A franquia se expandiu para mangá, jogos e anime, e fez um enorme sucesso, eventualmente deixando para lá o bichinho virtual. Como rebootar uma animação criada para chamar a atenção para um brinquedo que nem existe mais, numa época sem smartphones e redes sociais? Repensando tudo.

 

A história original começa com 7 crianças sendo enviadas do nada para um mundo desconhecido, o Digimundo, onde há uns monstros estranhos. Não foi só a tecnologia que mudou de 1999 para hoje, nosso jeito de consumir histórias também é um pouco diferente. Ao invés de começar dessa forma, Adventure: opta por introduzir apenas dois personagens: Taichi Kamiya (“Tai”) e Koshiro Izumi (“Izzy”).

 

digimon 2020

 

Criando uma situação que coloca em risco a mãe e irmã de Taichi, os personagens buscam um jeito de resolver o problema, é aí que Taichi é “sugado” ao Digimundo e Koshiro recebe seu digivice. No Digimundo, Taichi conhece Agumon. Pelo mundo real, Koshiro consegue se comunicar com Taichi e servir de suporte. Trabalhando em equipe, eles descobrem que tudo é culpa de Digimons descontrolados, agindo como “vírus”.

 

Aqui, já temos uma outra grande diferença em relação ao original: o Digimundo e o mundo humano já são, de cara, interconectados e, aparentemente, interdependentes. Não poderia ser diferente, não faz mais sentido uma história na qual o digital é um mundo à parte, que vai se conectando ao humano, afinal, nós vivemos constantemente conectados. Na época do primeiro anime, estávamos começando a nos conectar pela internet, então a narrativa fazia sentido naquele contexto. O design do Digimundo é também mais próximo ao nosso imaginário atual de como um “mundo de dados” deveria ser, bem diferente da espécie de ilha de Lost da série de 1999.

 

[ERRATA: Nos comentários, foi informado que a Network e o Digimundo são coisas diferentes. A minha impressão ao assistir é que eram a mesma coisa. Dado isso, é possível que o Digimundo não tenha sido repaginado].

 

digimon 2020

 

O segundo episódio traz uma nova ameaça ao mundo humano e introduz Yamato Ishida (“Matt”), trazendo já uma dinâmica de conflito com Taichi (rapaz, como o Yamato é chato). O “monstro da semana” não é facilmente derrotado, ele se transforma quando perde.

 

Aqui, temos algo bem interessante: além de já estar estabelicido que Digimons evoluem, portanto não ser tanta surpresa, essa “mudança de forma” do monstro lembra bastante chefões de videogame (ele é inclusive chamado de "boss"), que muitas vezes se transformam no meio da luta, tornando ela mais difícil. Não lembro bem como era no original, mas a série busca, novamente, se manter dentro do nosso imaginário de um mundo virtual.

 

digimon 2020

 

As ameaças criadas pelos Digimons até agora afetam diretamente a vida dos personagens. Uma vez que não é mais o caso de crianças perdidas no meio do mato, buscando o caminho para casa, é preciso criar situações de perigo iminente para motivar os personagens a seguirem explorando o mundo. A Toei acerta nessas modificações narrativas, mantendo a premissa de um Digimundo desconhecido acessível por apenas alguns escolhidos.

 

As clássicas cenas de digievoluções, com musiquinha e tudo mais, também foram retiradas. Pessoalmente, acho uma decisão acertada, não só por gastarem tempo do episódio mas também por serem bregas numa série atual, não consigo ver mais espaço para elas.

 

digimon 2020

 

Enfim, Digimon Adventure: começa com o pé direito, traz os personagens clássicos da franquia numa aventura totalmente atualizada. Traz algo aparentemente agradável para público infantil de hoje, misturado com toques de nostalgia que não parecem comprometer o curso da série. Impossível saber como seguirá, mas até agora temos a promessa de um "reboot que deu certo".

 

E você, já assistiu ao reboot? Conte suas impressões nos comentários!


 

© Akiyoshi Hongo / TV Fuji / Toei Animation


perfilLaura é mestranda em Letras na USP, colunista na Crunchyroll.pt, redatora no JBox e eventualmente também escreve no Medium. Entrou nessa de desenhos japoneses por causa de Cavaleiros do Zodíaco e está aí até hoje. Para surtos e reclamações mais pessoais, o Twitter é @gasseruto.

Autres Top News

0 Commentaires
Soyez le premier à commenter !
Trier par: