[Coluna] Por mais animes como given

given trata questões LGBTQ+ com seriedade e respeito, sabendo incluí-las dentro uma trama sobre música

Nessa semana, na coluna quinzenal, vamos falar sobre uma série recente, inclusive com mangá já saindo por aqui: given. Esse é um BL (boys' love, romance entre garotos) lançado desde 2013, por Natsuki Kizu, com 5 volumes compilados até o momento. No ano passado, a série ganhou uma animação de 11 episódios, disponível com legendas em português aqui, na Crunchyroll (um filme está previsto para sair no Japão). O mangá está saindo no Brasil.

 

given conta sobre os quatro integrantes de uma banda. A história começa com Ritsuka Uenoyama conhecendo, meio sem querer, Mafuyu Sato, na escola. Mafuyu está com uma guitarra Gibson mas parece não saber tocá-la, pedindo para Uenoyama ensiná-lo. A partir daí, os dois vão se conhecendo e Mafuyu acaba entrando na banda de Uenoyama.

 

A relação entre os dois personagens, no começo, não é muito "confortável", Ritsuka acha Mafuyu meio esquisito (nós acompanhamos mais o anime a partir desse personagem, embora outros "pontos de vista" também apareçam) e não entende bem qual a dele. Um dos pontos interessantes da série é, justamente, entender quem é o Mafuyu e porque ele anda tão colado com aquela guitarra.

 

given lgbtq+

 

Essa história envolve temas pesados, mas não vou contá-la aqui para vocês: assistam a série e descubram, vale a pena. Apesar de temáticas bastante sérias, os episódios de given são bem gostosos de assistir, a história flui num ritmo bem fácil. Mas, o que realmente me chama a atenção é a forma como temas LGBTQ+ são colocados.

 

Pelo resumo aqui, imagino que você já tenha suposto que Ritsuka e Mafuyu seriam o casal da trama e isso é verdade, embora já possamos perceber inclusive que eles não são os únicos LBTQ+ da história (o mangá não foi totalmente adaptado e posteriormente aprofunda mais em outro relacionamento), mas esse é um outro assunto. Enfim, falando sobre 11 episódios, nós vemos Ritsuka se descobrindo apaixonado por um rapaz, temos algumas pinceladas das dificuldades que homossexuais passam na sociedade, e vemos os dois admitindo seus sentimentos e começando a namorar.

 

given lgbtq+

 

Apesar de todas essas pautas, given não é apenas um anime sobre homossexualidade, e sim um anime sobre música (e todos os episódios têm nome de música). A música é um meio de expressão, pelo qual, inclusive, esses temas são expressados pelos personagens, e a narrativa foca na banda o tanto quanto foca nos relacionamentos. Não teria, obviamente, nenhum problema ser uma história muito mais focada no relacionamento dos personagens, mas é também maravilhoso quando as histórias com temas LGBTQ+ saem desse escopo.

 

given nos mostra personagens que realmente parecem pessoas: eles fazem coisas, tem hobbies, objetivos e são também gays enquanto vão seguindo com suas vidas. O interesse homoafetivo é uma parte deles, não seu "motivo de existir na trama". Eu não acompanho muito BL, então não sei o quão diferente ou igual ao mercado geral essa história é, mas, da minha experiência com animes, é raro uma obra ser tão aberta e tão real quando se trata de temática LGBTQ+.

 

given lgbtq+

 

Sem abrir mão de temas caros à comunidade LGBTQ+, given não utiliza homofobia como "muleta narrativa", trazendo essa questão com a devida seriedade e cuidado. Nós precisamos de mais séries que tratem personagens não-heterossexuais com a complexidade inerente ao ser humano, personagens que sejam também pessoas para além de sua sexualidade.

 

E você, assistiu ao anime? Conte sua opinião nos comentários!


 


perfilLaura é mestranda em Letras na USP, colunista na Crunchyroll.pt, redatora no JBox e eventualmente também escreve no Medium. Entrou nessa de desenhos japoneses por causa de Cavaleiros do Zodíaco e está aí até hoje. Para surtos e reclamações mais pessoais, o Twitter é @gasseruto.

Autres Top News

0 Commentaires
Soyez le premier à commenter !
Trier par: