[ENTREVISTA] O mundo de ciência de Dr. STONE em um bate-papo com o criador Riichiro Inagaki e o ilustrador Boichi

As curiosidades sobre a criação do aclamado mangá!

 Senku Dr. STONE


 

Como você deve ter notado, essa semana em dezembro está sendo dedicada ao enaltecimento desse grande show que é Dr. STONE! Para além do ranking divulgado na última terça e outros artigos aqui na CrunchyNotícias, estão altas as expectativas pelo grande anúncio para a franquia que será revelado em breve!

 

Nosso time internacional teve a honra de entrevistar Riichiro Inagaki - o criador do mangá - e o ilustrador responsável pelos cenários estonteantes do quadrinho, Boichi. Esse bate-papo aconteceu no último Anime New York City, e você confere a seguir!

 

CR: Para Inagaki, como é ver fãs de todo o mundo se apaixonando por Dr. STONE?

 

Inagaki: Eu acho que às vezes existem diferenças culturais sobre o que as pessoas acham interessante, mas se você tem temas simples, eles são bem universais. Por exemplo, mocinhos versus bandidos. Acho que as pessoas em todo o mundo acham isso interessante, mas quanto mais nichados os temas se tornam, mais diferenças culturais existem no que as pessoas acham interessante. Para mim, Dr. STONE é divertido, mas acho que o tema de Dr. STONE é um nicho. Se você me perguntasse há alguns anos o que eu pensaria se soubesse que pessoas de todo o mundo gostariam de Dr. STONE, não saberia o que dizer. Mas veja onde estamos agora. Sou grato a todos os fãs ao redor do mundo.

 

CR: Para Boichi, você parece ter uma forte paixão por fundos! Você já sonhou com os fundos que criou para Dr. STONE?

 

Boichi: Quando eu comecei Dr. STONE pensei nos diferentes fundos que eu poderia fazer. Pensando em 3700 anos passando sem humanos, e o que poderia ter acontecido com a natureza do Japão. Eu queria fazer justiça à natureza do Japão depois de 3700 anos sem humanos. Imaginei que se eu pudesse criar cenários como a Princesa Mononoke, isso seria maravilhoso. Meu fundo favorito é o castelo de Tsukasa e tem um segredo lá. No meu estúdio, chamamos de "Roppongi Hills".

 


CR: Você acha que a natureza do Japão é mais bonita no futuro de Dr. STONE ou hoje?

 


Boichi: Minha crença básica é que quanto mais a natureza é intocada, mais bonita é. Quanto menos tocado pelos seres humanos, mais bela é a natureza. No entanto, na sociedade moderna, se não administrarmos ou controlarmos a natureza, ela pode ser realmente perigosa. Eu acho que se pudermos administrar a natureza de maneira adequada, seria melhor. Em Dr. STONE as árvores que desenho são enormes. É claro que não há garantias de que as árvores crescerão grandes, mas sem a influência dos seres humanos, acho que a natureza se tornaria magnífica e bonita. Era isso que eu queria mostrar. Por isso desenhei as árvores tão grandes.

 

CR: Para ambos, qual é a experiência mais memorável até então trabalhando no mangá?

 


Inagaki: Com certeza trabalharmos para termos um anime pela Crunchyroll [risos]. Tenho certeza que você escreverá coisas boas sobre mim [risos]. Acredito que quando você escrever isso você escreverá que eu pareço muito com Johnny Depp [risos].

 


Boichi: Eu tenho muitas lembranças, mas penso em Blade Runner. A última frase que Roy diz é: "Vi coisas em que as pessoas não acreditariam". Na verdade, experimentei isso. Por exemplo, experimentei grandes artistas de mangá desaparecendo instantaneamente. Também experimentei artistas de mangá extremamente talentosos amando meu trabalho. Claro, o momento mais memorável é quando Shonen Jump disse que eu poderia trabalhar com Inagaki-sensei.

 


CR: O que vocês acreditam que os fãs ficaram mais surpresos até agora com Dr. STONE?

 


Inagaki: Isso meio que remonta aos estágios de planejamento, mas não acho que os fãs ficaram tão surpresos com a grande petrificação. Eu acho que a maioria dos fãs esperava que a petrificação acontecesse e houvesse algum herói ou alguém vindo do espaço e salvasse todo mundo momentos ou semanas depois. Mas você continua lendo e não havia salvador, e milhares de anos se passaram! Eu acho que isso foi surpreendente para os fãs.

 


Boichi: Então, no livro de Stephen Hawking, "The History of Time", ele menciona que "se houver um número que aparece, as vendas caem pela metade". Portanto, se você mencionar números, as vendas caem. Mas a história de Inagaki-sensei é cheia de números e os fãs adoram! Ele escreve uma história tão boa e ainda vende com todos esses números.

 


Inagaki: Você está apenas me fazendo elogios [risos].

 

 

CR: Sabemos que a equipe de produção de anime produziu artigos de vidro e praticou parte da ciência de sua história para traduzi-la com precisão em forma de anime - vocês dois fizeram algo parecido para obter inspiração?

 


Inagaki: Fizemos muitas pesquisas, como ir a uma fábrica de sopro de vidro. Quando se trata de ciências pesadas, temos um consultor científico que ajuda. Mas a pesquisa é importante porque a experiência não pode ser ensinada. Então, obtendo essa experiência em primeira mão, podemos refletir isso nos personagens.

 


CR: Quem é melhor em esmagar uvas com os pés?

 


[Os dois riem]

 


Inagaki: Eu já fiz isso antes. Era como uma experiência em uma vinícola. Eu pisei e pisei, mas só fiz um pouco de suco de uva. Então alguém veio da parte de trás e me deu uma garrafa de vinho, dizendo que era das uvas que eu esmagava. Mas isso era obviamente uma mentira [risos].

 


Boichi: Costumo pensar que Dr. STONE é uma recompensa que a vida me deu. Eu trabalhei muito e realmente estudei muito como artista de mangá, mas quando eu comecei Dr. STONE eu também estava trabalhando no Origin, então eu estava trabalhando em dois mangás semanais ao mesmo tempo. Não há outro momento para fazer outra coisa senão desenhar mangá, então não tive tempo para fazer nenhuma pesquisa especificamente. Mas quando eu percebi que haveria uma arma em Dr. STONE, eu já tinha lido muitos livros. Quando tive que desenhar um pouco de cozinha, já tinha lido muitos livros sobre culinária. E quando eu tive que desenhar Kamakura e Hakone, eu já estava lá (e tirei muitas fotos). Eu já tinha um banco de dados com 900.000 fotos. Acabei usando tudo isso. Com isso, aprendi que a pesquisa era importante para assuntos que eu não conhecia. Então, eu tive que fazer uma pesquisa sobre a Soyuz. Eu li muito sobre o desenvolvimento espacial da América, mas não sabia muito sobre os russos. Fui para a Rússia e acabei encontrando a única astronauta coreana que foi ao espaço. Ela se tornou minha consultora para Byakuya na reinicialização de Dr. STONE.

 


CR: Uau, outras pessoas sabem disso?

 


Boichi: É um segredo revelado.

 

 

CR: Vocês dois parecem ter um relacionamento maravilhoso. Como vocês trabalham juntos?

 


Inagaki: Em primeiro lugar, tenho temas que quero mostrar em Dr. STONE. No mangá, é fácil mostrar super-heróis, mas você não vê pessoas comuns fazendo as coisas persistentemente. Na vida real, é isso que nós humanos fazemos e isso é uma virtude dos humanos. Era isso que eu queria escrever. Esse é um ponto de partida para a minha resposta à sua pergunta.


Minha pergunta quando íamos formar uma equipe era “Como Boichi vai expressar meus storyboards através de seus desenhos?” Eu já conhecia o trabalho dele e era fã. Então eu dei a ele os storyboards, ele começaria a trabalhar e depois iríamos para lá e para cá. Quanto mais vamos e voltamos, mais eu o entendo como artista, sua perspectiva e o que ele é capaz de fazer. Voltando à coisa anterior, eu disse: como você faz esse ato de pessoas que trabalham persistentemente parecer legal? Outros mangás têm batalhas que duram por páginas e páginas, muita ação, mas para mostrar o tema que eu queria ilustrar, acho que é importante mostrá-lo em uma ilustração completa como um quadro, o que é uma coisa difícil de fazer. Mesmo quando começamos a trabalhar, eu fiquei um pouco hesitante e conservador com meus storyboards.


Especificamente, com a roda d'água, você está apenas cortando madeira e juntando-a novamente. Mas como você faz isso parecer legal? Tenho certeza de que existem algumas maneiras de expressar isso, como ter os personagens cortando a madeira em alta velocidade, mas não é exatamente isso que eu estava procurando. Por isso, eu disse que queria expressar isso com Senku dizendo "Usina Hidrelétrica adquirida!!", com uma ilustração de uma usina hidrelétrica em uma pose legal como uma página inteira. Essa é a parte importante.


E Boichi enviou de volta um quadro realmente incrível. Uma vez publicado, o feedback dos fãs foi ótimo. Quando vi isso, decidi que deixaria esse tipo de cena para a página inteira de Boichi e, a partir daí, começamos a usar mais desses tipos de quadros. Isso também estava nos construindo juntos como uma equipe. De um lado para o outro, nós dois entendemos quais são nossas forças e atuamos continuamente com elas.

 


Boichi: Trabalhar com Inagaki-sensei é a melhor coisa do mundo. Imagine, se você estiver dirigindo um carro com alguém, é como ter o melhor piloto de Fórmula 1 do mundo no banco do motorista.

 


Inagaki: É ele está dizendo todas essas coisas legais!

 


Boichi: Quando colaboro com Inagaki-sensei, o mais importante é como posso expressar o mundo e a história dele. Por exemplo, quando eu estava desenhando a roda d'água, o importante era pensar em como Senku e os personagens iriam construir isso, o que estava passando por suas mentes e em que direção a roda d'água levaria a história. Eu quero fazer justiça à sua história. Por exemplo, existem muitas pedras empilhadas do outro lado da roda d'água, para que você possa acelerar o fluxo. Eu também acho que, à medida que a história se desenvolve, eu queria tornar essa roda d'água mais poderosa e funcional. É nisso que eu penso quando desenho.

Altre notizie importanti

0 Commenti
Puoi essere il primo a commentare!
Ordina per: