ESPECIAL: Animax continua em decadência, abandonando Espanha e Europa Central

Estará a TV, relativamente ao mundo dos animes, realmente condenada no Ocidente?

Página inicial do site do Animax Ásia

 

Muitos dos leitores deste artigo decerto se lembrarão daquele velhinho canal chamado Animax. Lançado originalmente a 20 de maio de 1998 no Japão, onde permanece quase 16 anos depois, pela Sony Pictures Entertainment, foi expandindo-se por outras regiões à volta do mundo, incluindo o Brasil e Portugal. Infelizmente, e com grande pena dos espectadores, este já não é o caso.

 

Os acontecimentos mais recentes continuam a revelar a decadência que esta cadeia de televisão tem vindo a sofrer no Ocidente nos últimos anos, já que apenas nos países asiáticos (fora poucas exceções) o Animax ainda goza de uma forte presença e aceitação por parte do público. Em Espanha, o canal terminou as suas emissões no último dia do ano passado, dando fim a pouco mais de 6 anos de presença da marca no país. Foram assim os últimos momentos de vida do Animax Espanha:

 

 

Curiosos foram os últimos meses antes do seu fecho: em fevereiro de 2013, anunciava-se o "regresso" do canal a um formato 100% anime, mas a verdade era muito longe do que o que esta notícia parecia revelar. A partir de março, o canal transmitia apenas 4 séries — um episódio de Trigun, um episódio de Excel Saga, dois episódios de Kochikame e um episódio de Yakitate!! Japan — continuamente, 24 horas por dia, repetindo este ciclo incessantemente. Segundo informações não oficiais, o canal perdera grande parte das licenças que possuía para o seu conteúdo. Esse facto, juntamente com o diminuído interesse por parte da Sony em manter o canal (que queria, mas ainda não havia conseguido, encerrá-lo mais cedo), foi ainda intensificado em novembro seguinte, data a partir da qual o ciclo contínuo de animes se reduziu para apenas os dois últimos títulos. Essa grelha manteve-se até à sua extinção.

 

A próxima subsidiária desta rede de canais que já tem o seu funeral marcado é a centro-europeia. Inicialmente previsto para terminar no passado dia 31 de janeiro, as novidades mais recentes apontam a data de 31 de março de 2014 como o derradeiro culminar do Animax Europa Central. Tendo a sua transmissão partilhada por diversos países desta região geográfica, lá, o Animax nunca foi um canal completo, sendo que apenas é transmitido entre as 8 da noite e as 2 da manhã e o restante horário preenchido por um canal infantil.

 

No Brasil, o canal Animax substituiu o antigo Locomotion em julho de 2005, tendo a Sony compado o canal meses antes. Em maio de 2010, este sofreu uma alteração de identidade e de programação, passando a integrar diversas séries ocidentais na sua grelha de programação, o que infuriou muitos fãs brasileiros das animações japonesas. Por fim, no dia 1 de maio de 2011, o novo Sony Spin apoderou-se do seu lugar. Porém, este continuaria a emitir animes durante alguns meses após essa mudança, embora tal já não aconteça. A transição de um canal para o outro foi assim:

 

 

Em Portugal, o canal partilhava inicialmente a mesma transmissão do espanhol, já que ambos os canais eram sediados em Madrid. Embora esta situação viesse a alterar-se meses depois, isto significou que os primeiros momentos do canal foram vividos conjuntamente. Em setembro de 2007, o canal AXN, também da Sony, estreou um bloco de programação para animes, de nome Zona Animax. Em maio de 2008, por fim, o Animax abriu como canal independente, com a estreia do filme Ghost in the Shell. Não muito tempo mais tarde, em janeiro de 2009, o Animax estreava a sua primeira produção não japonesa, tendência que aumentaria até ao seu fecho de emissões.

 

Já separado do seu congénere espanhol, o Animax Portugal foi o primeiro no mundo a adotar uma nova identidade visual, tendo feito a transição em finais de abril de 2010. Diversos animes foram retirados da sua oferta, o que, felizmente, não foi algo permanente, visto que vários deles tiveram oportunidade de regressar com o canal ainda em vida. Ironicamente, a sua última estreia, em abril de 2011, foi Shin Mazinger Shougeki! Z-Hen, um remake de 2009 de um popular anime mecha. Pouco mais de um mês depois, e dias após a transmissão do último episódio dessa série, o canal viveu os seus últimos momentos na manhã do dia 9 de maio, quando deu lugar ao AXN Black, que nunca mais transmitiu animes:

 

 

Dentro de pouco tempo, a presença do Animax na Europa far-se-á sentir exclusivamente na Alemanha, pela televisão, e no Reino Unido, onde a marca se estreou recentemente, mas sob a forma de um portal online de transmissão, muito semelhante à Crunchyroll.

 

Assistindo a estes culminares, um pouco por todo o mundo, de um canal cuja intenção original era fornecer uma fonte de animes 24 horas por dia na televisão, que lições há a retirar e o que nos diz isto sobre a possibilidade de penetração dos conteúdos de entretenimento japoneses nas sociedades ocidentais? O problema estará realmente no conteúdo? No público? Em ambos? Seja como for, pessoalmente, tenho de dar graças ao Animax, que tive a oportunidade de descobrir, não obstante por um tempo muito limitado. Caso contrário, seriam grandes as probabilidades de não estar a redigir este texto neste momento.

 

via: Ramen para Dos (1, 2 e 3) e DTV News


Gustavo Silva é contribuinte de notícias lusitano na Crunchyroll.pt e amante de animes, música e cultura japonesa. Visita o seu perfil e segue-o no Twitter.

Outras Principais Notícias

19 Comentários
Ordenar por:
Hime banner

Teste o Novo CrunchyrollBeta

Quero testar