Mundos alternativos: clichê desnecessário ou uma realidade interessante?

Nos últimos anos vários animes, mangás e light novels sobre mundos alternativos bombaram entre os otakus, mas será que é só uma modinha passageira ou um estilo bem estabelecido para criar novas histórias?

Recentemente um concurso de light novels curtas realizado no Japão, proibiu a inscrição de histórias que tivessem em seu enredo qualquer citação a "viagens para mundos alternativos" (isekai) ou "reencarnação em outros mundos" (tensei). Apesar do concurso ser livre para qualquer gênero, histórias relacionadas a mundos alternativos foram banidas da competição.

 

Mas qual o motivo para tal proibição?

 

Se você acompanha o mercado de animes, mangás e light novels, certamente já notou o quanto esse tipo de história tem se popularizado nos últimos anos, a cada nova temporada de animes é quase certo que teremos pelo menos uma série com esse tema.

 

Vamos ver se é verdade? Só em 2016 tivemos na temporada de primavera Re:Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu, na temporada de inverno a segunda parte de Gate, Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! e também ainda estava em exibição Utawarerumono -Itsuwari no Kamen-, isso citando apenas os animes que passaram pela Crunchyroll.pt, pois ainda tivemos outros, como Hai to Gensou no Grimgar e Endride.

 

Sendo assim, só em 2016 já são 6 diferentes títulos que envolvem viagens para mundos alternativos ou reencarnações em outros mundos, isso se algum não passou despercebido por mim e ficou fora da lista.

 

Gate

Gate

 

É claro que o sucesso de séries como Sword Art Online, Log Horizon e No Game No Life contribuíram muito para a avalanche de títulos com essa temática, mas será que novos títulos do "gênero" deveriam evitados?

 

Para responder essa pergunta, primeiro temos que tentar entender porque essas obras têm feito tanto sucesso. Podemos especular aqui os mais diversos motivos, no entanto considerem esse texto apenas como a opinião pessoal de um fã que acompanha o mercado a muito tempo e também gosta desse tipo de história.

 

Por que histórias com mundos alternativos fazem tanto sucesso?

 

Provavelmente, o maior motivo para o sucesso dessas obras é sua aproximação com o público. Se paramos para analisar os protagonistas de cada uma dessas histórias, muitos deles são neets, otakus, nerds, hikikomoris, gamers, enfim... Personagens que muitas vezes enfrentam problemas de aceitação e relacionamento em suas vidas cotidianas, ou acabam se isolando do mundo real para se dedicarem aos games ou outros passatempos "nerds" e encontram nessa realidade alternativa a oportunidade de se destacarem e serem reconhecidos. 

 

 No Game No Life

No Game No Life

 

Não estou querendo dizer que todos os fãs que curtem esse tipo de história se encaixam nessa descrição, porém o fato de ser um atrativo a mais para o público alvo de light novels, animes e mangás certamente tem um impacto muito relevante quanto ao êxito dessas obras no mercado.

 

Principalmente no ramo das light novels esse tema tem sido muito recorrente, são dezenas de obras em publicação sobre personagens transportados para mundos alternativos. Mas apesar de tudo, no meio de tantas histórias genéricas e repetitivas, ainda conseguimos encontrar o frescor de uma boa história. E por se tratar de um assunto que pode ser abordado de diversas maneiras diferentes, apesar dos clichês, cada uma tem suas virtudes e podem encontrar o seu lugar ao sol.

 

Bons exemplos recentes de sucesso são Re:Zero e Konosuba, as séries apresentam propostas bem diferentes no que diz respeito a abordagem desse tema em suas histórias e ganharam popularidade por motivos distintos.

 

Em Konosuba temos uma pegada supercômica e descompromissada que não é muito comum nesse tipo de obra, não de forma tão exagerada como vemos no anime. O protagonista, que recebeu a missão de salvar o mundo de um grande "Senhor das Trevas", está mais preocupado na verdade em juntar uma grana que possa lhe garantir algum conforto. Além disso, ele consegue montar o grupo mais maluco de personagens para alcançar seus objetivos, composto por uma deusa mequetrefe que perdeu todo respeito, uma masoquista maluca em busca de desafios que possam lhe causar o maior sofrimento possível e uma maga superpoderosa que vai a nocaute sempre que usa sua magia. 

 

Megumin - Konosuba

Konosuba

 

O sucesso de Konosuba se deve ao grande carisma de seus personagens e a diversão proporcionada pelos diálogos idiotas e situações absurdas em que eles se envolvem. Não foram poucas as vezes que me peguei caindo na gargalhada ao assistir um episódio do anime. A boa notícia é que a sua segunda temporada já está confirmada para janeiro de 2017, ou seja, logo teremos mais Megumin em nossas vidas!

 

Já em Re:Zero, fomos apresentados a uma história mais dramática e envolvente, acompanhando toda dor e sofrimento do protagonista para tentar alcançar a redenção. O anime também conta com várias personagens interessantes, primeiramente a Emilia, com toda sua simpatia e beleza e, no segundo arco do anime, todo destaque acabou sendo tomado pela Rem com sua força, amor e dedicação aos seus ideais. 

 

Mas não para por aí! Na temporada de outono também temos Drifters, um isekai que foge um pouco do "padrão" mais ainda assim é um representante legítimo, afinal o anime reúne um punhado de personagens históricos que são transportados para um mundo alternativo onde são envolvidos em uma grande guerra.

 

Não é de hoje...

 

Se você acha que animes que se passam em universos paralelos são uma moda recente, você está enganado! Até mesmo alguns clássicos exibidos nos anos 1990 na TV brasileira faziam uso dessa premissa em seu enredo. Vamos lembrar alguns?

 

Shurato - Exibido no Brasil pela Manchete

Shurato 

Shurato Hidaka e Gai Kuroki são dois melhores amigos de infância e opostos um do outro em aparência e personalidade. Enquanto lutavam um contra o outro na final de um torneio de artes marciais, foram subitamente encobertos por uma luz misteriosa e transmigrados para um lugar paralelo, o Mundo Celestial, onde a tecnologia moderna não existe e, ao invés disso, as pessoas dependem de seus Sohma, uma forma de energia espiritual.

 

Shurato descobre que ele é, na verdade, a reencarnação de um rei antigo de mesmo nome, e um dos Hachibushu, um grupo de oito guardiões lendários com alta quantidade de Sohma, sendo trazido para aquele mundo com Gai para lutar contra os deuses de Asura, uma legião de guerreiros destrutivos. Entretanto, por razões desconhecidas, Gai tenta matar Shurato repetidas vezes, confundindo Shurato, uma vez que o Gai real é um pacifista e a pessoa com mais compaixão que ele conhece.

 

Guerreiras Mágicas de Rayearth - Exibido no Brasil pelo SBT

Guerreiras Mágicas de Rayearth

 

Durante uma excursão escolar à torre de Tóquio, três estudantes: Hikaru Shidou, Umi Ryuuzaki e Fuu Hououji são convocadas pela Princesa Emeraude para salvarem Cefiro. Ao chegarem lá são recebidas pelo Guru Clef. Clef conta tudo sobre aquele mundo mágico, e que a Princesa Emeraude havia sido raptada pelo sumo-sacerdote Zagato.

 

As três garotas foram convocadas para se tornarem Guerreiras Mágicas de Cefiro. Para conseguir isso, Clef deu a cada uma delas uma armadura que evolui conforme seu desempenho e poderes diferentes: Hikaru-Fogo, Umi-Água e Fuu-Vento. 

 

El-Hazard - Exibido no Brasil pela Band

El-Hazard


A história é sobre uma antiga civilização escondida, onde Makoto Mizuhara e seus amigos foram transportados pela deusa-demônio Ifurita. Em El-Hazard, Makoto descobre que não só eles como seus amigos também possuem poderes especiais. Sua missão em El-Hazard será de acabar com os planos dos terríveis Bugrons regidos por seu ex-colega de colégio Jinnai e também com a tribo fantasma que planeja controlar uma poderosa arma de El-Hazard: "O Olho de Deus".


Those Who Hunt Elves - Exibido no Brasil pela Locomotion

Those Who Hunt Elves


A feiticeira elfa Célcia invoca uma grande magia para derrotar uma poderosa bruxa e acaba trazendo acidentalmente três pessoas aleatórias da Terra para o seu planeta. Quando ela vai refazer o feitiço para mandá-los de volta a Terra, o homem, chamado Junpei, fica puxando assunto com os sacerdotes presentes durante o ritual, fazendo-a se desconcentrar, o que causa o rompimento do feitiço do livro de magia dela em 5 partes, que se espalham pelo mundo. Então, Célcia diz que as 5 partes do feitiço acabaram grudando no corpo de 5 elfas que estavam, de alguma forma, conectadas a ela naquele momento.

 

Desde então, os três terráqueos decidem sair pelo mundo despindo as elfas em busca dos fragmentos do feitiço para poderem voltar à Terra, ficando conhecidos como "Os Caçadores de Elfas". Inicialmente, Célcia se opõe a essa prática e tenta impedí-los, mas acaba desistindo e juntando-se a eles, vendo que esta é a melhor solução para o problema. 

 

O que vem por aí!

 

Agora voltando aos animes atuais... Em janeiro de 2017 já temos o retorno de Konosuba em sua segunda temporada e certamente teremos ainda mais animes com histórias desse tipo para acompanhar nos próximos meses. Um deles também já está confirmado para janeiro, Youjo Senki, adaptação de uma light novel que conta a história de um militar que foi reencarnado em outro mundo no corpo de uma menininha fofa, depois de ter deixado um certo "deus" meio irritado.


Agora é ficar de olho nas CrunchyNotícias para não perder nenhuma novidade e no dia que você for transportado para um mundo alternativo cheio de waifus e poderes mágicos, não deixe de nos mandar lembranças!


Re:Zero


Também é fã de animes Isekai / Tensei?

Conte nos comentários qual é o seu favorito!

 

© Todas as imagens pertencem a seus respectivos criadores


Fábio[portuga] é redator de notícias para a Crunchyroll.pt e gosta muito de animes de mundos alternativos, esse ano ele gostou muito de Re:Zero e Konosuba e está animado para os próximos que estão por vir! Visite o seu perfil e siga-o no Twitter: @portugassis. Clique aqui para ler outros posts do autor.

Outras Principais Notícias

20 Comentários
Ordenar por: