Cinco motivos para conhecer Detective Conan

Em comemoração aos 20 anos do anime! Sempre bom lembrar porque 977 capítulos, 837 episódios, 20 filmes e 12 OVAs valem muito a pena!

 

Uma vez ou outra algum anime ou mangá marca sua vida de uma forma tão forte, tão positiva, que ele nunca mais sairá dos seus queridinhos ou da resposta quando te perguntam "qual anime/mangá você gosta e recomenda?". Pode ser que você o assistiu ou leu na infância, como um Dragon Ball ou Sakura Card Captors; ou algo na sua adolescência, como foi o meu caso com Detective Conan, escrito e desenhado por Gosho Aoyama. Atualmente a adaptação em anime possui 837 episódios, enquanto o mangá tem 977 capítulos até agora. Sai um filme uma vez por ano - sendo que o 21º sairá ano que vem. 

 

Uma breve sinopse sobre a obra: Detective Conan gira em torno de Shinichi Kudo, um colegial e detetive que em um encontro com sua amiga de infância Ran Mouri, acaba se intrometendo onde não devia - espiando uma negociação ilícita - e sofre as consequências: um dos homens lhe deixa desacordado e o faz tomar uma droga na intenção de matá-lo. Pórém, o que os homens não sabiam é que essa droga na verdade encolhe as pessoas, deixando no caso Shinichi com o corpo de criança. Nisso, Professor Agasa, um de seus amigos, diz que ele não pode revelar sua identidade para ninguém, pois se aqueles homens descobrissem que ele ainda estava vivo, poderiam matar todos envolvidos com Shinichi.

 

O que ambos não esperavam é que Ran aparecesse no escritório do professor nesse momento, e em pouco tempo o detetive colegial se viu obrigado a assumir uma nova identidade: Edogawa Conan, cada nome tirado de um famoso escritor de mistérios (Edogawa Rampo e Arthur Conan Doyle). Ele acaba ficando aos cuidados da melhor amiga e do pai dela, Mouri Koguro, e a história se densenrola em muitos mistérios: a busca de Shinichi por uma cura e sua vontade de acabar com a Organização Negra, responsável por toda essa desgraça. 

 

O primeiro contato que tive com Detective Conan foi com o anime, vendo algumas aberturas e encerramentos no Youtube ou Dailymotion. Fiquei impressionada em todos os quesitos - seja a arte (olhos expressivos e orelhas muito grandes) ou no modo que a obra era retratada, parecendo ter de tudo um pouco: ação, comédia, romance, mistério. Eu já sabia que se tratava de um anime com mais episódios que One Piece então logo desanimei.

 

Dias depois, conversando com uma amiga, refleti sobre o fato de algo ser muito longo e afastar: logo se pensa que deve-se maratonar e acabar com aqueles 600 episódios pra mais (na época) em questão de poucos dias. Mas e se você consumir o produto em pequenas doses? Aproveitará mais e não sentirá uma sobrecarga. Nisso, tentei atingir um objetivo: assistir Detective Conan no tempo de um ano, intercalando filmes e episódios. Nesses 365 dias consegui o desejado e como estava muito apaixonada pelo anime, resolvi ler o mangá, também nesse esquema de "aos poucos chego onde quero".

 

Tudo isso ocorreu do meu nono ano do ensino fundamental até meu segundo ano do colegial.

 

Essa grande explicação sobre como tive contato com Conan e o método que escolhi para consumir a franquia é uma resposta imediata a questão que muitos tem quando se deparam com essa obra: mas são muitos episódios, filmes, capítulos! Esse método que expliquei não vale apenas para o mundo pop da cultura japonesa - mas também para estudos. Se você pegar seu livro e caderno um pouco por dia, verá que renderá muito mais do que maratonar durante horas num dia só. Sei que Conan não é um "shonen-de-porrada" e por se tratar de uma obra de mistério investigativo o tempo pode passar mais devagar, mas com as cinco razões abaixo espero mesmo que você, leitor, dê pelo menos uma chance.

 

1. Mistérios muito bons - e te forçam a pensar!


 

Como disse acima, o gênero principal de Conan é mistério investigativo já que, bom, a história gira em torno de detetives e policiais. Existem alguns casos que são incríveis de tão bem pensados, já outros são esquecíveis. Porém, em ambos dos casos você se vê compenetrado em resolver o mistério - até antes mesmo dos personagens, dando uma sensação de "sou muito bom". 

 

2. O plot central é uma loucura de tão bom e cheio de reviravoltas


 

A linha central do plot envolvendo a organização negra deixa qualquer fã louco de emoção. Quando Gosho decide mexer nisso é pra realmente deixar todos de queixo caído de tão bom que é, como mostrado num arco recente. É como se fosse um doce que você come com pouca frequência mas quando come é o melhor dia da sua vida. As reviravoltas então? Cada uma é um choque diferente - e isso é muito bom já que ninguém gosta de coisas previsíveis, não é?

 

3. Personagens cativantes


 

O leque de personagens varia desde forma de rosto, corpo e até tons de pele, agradando qualquer gosto. Tudo bem que não tem ninguém com o puro conceito MOE que tantos otakus gostam, mas as meninas são bem bonitas e personagens masculinos podem arrancar suspiros. Mas isso não se reestringe apenas a aparência: personalidades bem diferentes e algumas características que fogem do comum - como Ran e Kazuha saberem estilos de luta; ou a policial Sato que deixa muitos companheiros no chinelo (e não é diminuida por ser uma mulher!).

 

4. Abrange muitos gêneros


 

Gosta de ação? Comédia? Romance? Aventura? Mistério? Terror? Pois em Conan você encontrará tudo isso misturado de forma equilibrada. Tudo bem que o terror as vezes você chega a pensar "nossa, esse caso é horrível!" ou o romance que é lento como uma tartaruga mas pelo menos tem progresso (além de ser delicioso para sofrer pelo seu casal favorito). 

 

5. Material inédito por muito tempo


 

Estamos falando de uma das franquias de maior sucesso no Japão, amada por pessoas de todas as idades, como pode se ver em cada filme lançado faturando mais e mais dinheiro. Provavelmente teremos mais 20 anos pelo menos de novas aventuras! Além dos episódios originais no anime que são bem divertidos. 

 

Foram apenas cinco razões mas poderia citar muito mais para mostrar como acho essa franquia boa e extremamente divertida. Lembre-se que se não gostar do anime, o mangá também é uma ótima opção. Caso realmente não queria nenhum dos dois, os filmes explicam a história em toda abertura e o gosto de Conan é perfeitamente sentido nesses longas. Cabe a você realmente, se se interessar, decidir qual mídia é a mais interessante perante sua rotina. 

 

No Brasil o primeiro filme da franquia foi lançado pela Flashstar com dublagem localizada, mas o mangá jamais foi publicado, sendo necessário recorrer a importação por sites como a Amazon e a Book Depository. Lembrando que livros e impressos são insentos de taxas de importação!

 


Walker_n_Warlock aka Rah Walker é redatora da Crunchyroll.pt e estudante de Letras da UNICAMP. Adora a lingua japonesa, livros, mangás e acima de tudo, louca por Detective Conan, então cuidado pra não falar sobre isso caso não queira um discurso de 2h sobre. Poderá encontrá-la surtando em algum canto do twitter (@RahWalker_) com facilidade. 

 

Outras Principais Notícias

25 Comentários
Ordenar por: