O retorno do caderno da morte! Novo one-shot de Death Note entrega uma história curiosa nos tempos atuais

Confira os planos de Minoru Tanaka.

Death Note com certeza é uma das obras mais conhecidas pelos otakus e não-otakus de todo o mundo. O mangá conquistou uma geração inteira de fãs, esta que talvez nem ache o título mais tão bom assim, porém reconhece a importância dele até hoje. 


A obra originou uma série de adaptações diferentes, indo do clássico anime do estúdio MadHouse, até mesmo a uma adaptação estadunidense do título em um filme live-action para a Netflix. Enfim, várias coisas.

 

Agora Death Note ganhou uma nova obra derivada, um one-shot. A obra é escrita e desenhada pelos autores originais, Tsugumi Ohba e Takeshi Obata. Ambos decidiram fazer uma história que acontece nos tempos atuais e a publicação é bastante interessante.

 

Na história, acompanhamos Minoru Tanaka, um rapaz que sempre se sai bem em testes de QI, porém no geral não tira boas notas. Certo dia, ele é visitado por Ryuk, que lhe oferece o poderoso Death Note depois de explicar as regras do caderno e toda a história do famoso Kira, reconhecido hoje nos livros de história como uma figura importante, um vilão. Tanaka, ao ouvir tudo, decide pedir que Ryuk volte daqui dois anos, dizendo que nesse tempo elaboraria um plano de como usar o caderno. Dois anos depois, temos a revelação de qual é o plano: vender o caderno. A partir daí temos a trama.

 

 

A história se desenrola de um jeito bastante interessante, trazendo personagens já conhecidos à tona e colocando-os até mesmo na investigação do novo caso. Tanaka se revela um protagonista perspicaz e, mesmo com o caderno da morte, com uma visão bem diferente da que tinha Light, protagonista da obra original.

 

Outro fato interessante na adaptação é que com o andar da trama vemos até mesmo figuras da vida real, como o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente da China, Xi Jinping. O que torna tudo ainda melhor é que os políticos não aparecem como simples easter eggs, mas sim como personagens ativos no enredo.

 

No fim das contas a coisa mais divertida é que o método de Minoru Tanaka é quase imbatível para os tão temidos investigadores que vemos na primeira obra. Chega a ser pacifista o plano do rapaz para criar seu próprio novo mundo e vemos sutilmente que ele possui valores ao mesmo tempo que egoístas também patriotas, assim como víamos em Light, porém de um jeito bem menos conturbado. 

 

Este texto fica por aqui para evitar maiores spoilers sobre o one-shot. É possível acompanhar qual é o plano mirabolante de Tanaka com a leitura oficial através do MangaPlus, aplicativo da Shueisha. A obra está disponível por lá em inglês e espanhol, porém a editora JBC confirmou que ainda essa semana lançará o título em português.


 

Talles Queiroz (TekeEfe) é redator de notícias da Crunchyroll.pt e estudante de Letras pelo IFSP. Sofrendo por personagens 2D desde sempre, escrevendo sobre esse sofrimento desde 2013. Para surtos mais pessoais, o Twitter é TekeEfe também.

 

Outras Principais Notícias

2 Comentários
Ordenar por: