ESPECIAL: Três animes que nos ensinam a importância do amor e da amizade

Existe muito mais que situações bobinhas e triângulos amorosos.

Texto originalmente escrito por Daniel Dockery para a área de redação da Crunchyroll dos Estados Unidos.

 

Recentemente, eu terminei de assistir My Love Story!!, anime baseado no mangá de Kazune Kawahara e, para falar de forma direta: EU AMEI ele. A série conta a história de um rapaz de coração bondoso chamado Takeo, um emotivo estudante do ensino médio que, por acaso, tem aproximadamente uns cinco metros de altura (com certos exageros) e está criando uma relação com sua colega Yamato. Além da relação com a garota, o anime também trata da relação de Takeo com o quieto Sunakawa. Olhando para a situação, é esperado que comece a acontecer algum triângulo amoroso entre os personagens e tentativas de investidas para cima de Yamato, só que o que acompanhamos não é isso. Ao invés disso, o que temos é um anime sobre amor entre amigos e como as pessoas cuidam uma das outras.

 

Essa é uma das maiores forças em animes dentro da demografia shoujo. Vários clássicos da demografia narram histórias que, apesar de terem grande foco em relações amorosas, contam com um grande aspecto de suporte emocional entre as pessoas. Os protagonistas podem se apaixonar ou lidarem fascínios e corações partidos, mas quando você assiste a um pouco do que existe em shoujos, uma temática maior se torna óbvia: a ajuda e o conforto dos outros não é apenas bem-vinda, mas também na maioria das vezes necessária para a felicidade e o sucesso. É realmente apaixonante.

 

 

Aliás, antes de continuar, acho que é importante mencionar que títulos que caem dentro dos "shoujo" são de uma variedade enorme. Esse artigo está cobrindo apenas um tema forte de uma parte deles. Falar que todos os animes e mangás da demografia são sobre pessoas tendo crushes em outras e nada mais realmente é um desserviço para o "gênero" e se torna um indicativo da triste verdade que é o fato de que várias pessoas parecem automaticamente criar desgoto por qualquer mídia direcionada a garotas adolescentes. Um exemplo disso é que, quando alguns tentam falar mal da música pop atual, o primeiro alvo costuma ser jovens artistas mulheres. É um estranho reflexo de nossa cultura que precisa sumir.

 

Bem, para celebrar histórias clássicas dentro do shoujo, a Crunchyroll me colocou no papel de rever três títulos em específico: Marmalade Boy, Boys Over Flowers e Lovely Complex. O primeiro, se você nunca viu, é sobre Miki Koishikawa, uma responsável estudante que descobre muito cedo, durante suas férias, que seus pais conheceram outro casal e decidiram se divorciar para trocar de parceiros. Uma situação assim seria claramente um choque, porém é feito de uma forma hilária, principalmente por tão indiferentes os pais de Miki parecem estar com isso. O que eles vão pedir para o jantar acaba se tornando literalmente uma situação mais dramática para eles.

 

 

Nessa situação, Miki acaba conhecendo Yuu, filho do antigo casal que fez parte da troca de parceiros. Para deixar as coisas piores, Yuu é completamente o oposto de Miki em sua personalidade, principalmente pelo tanto que ele é indiferente sobre tudo. E, nesse caso, os opostos de fato se atraem. Marmalade Boy acaba sendo um anime que foca muito mais em como Miki e Yuu aprendem a crescer um com o outro, sendo o caso de Yuu se tornar uma pessoa mais aberta sobre si e seus problemas porque ele admira essa qualidade em Miki.

 

Enquanto isso, Boys Over Flowers não é apenas sobre uma garota de classe média que acaba numa escola cheia de pessoas idiotas da elite e triângulos amorosos que surgem dessa situação, mas também trabalha com amizade entre rapazes adolescentes. Esses caras são rápidos na hora de praticar bullying com as pessoas em um primeiro momento, porém a maioria deles ficam presos na solidão no momento em que a paz de seu grupo é perturbada. Boys Over Flowers também aborda problemas entre classes sociais e o inerente preconceito das pessoas mais abastadas com quem não está no patamar delas. Eu não diria que Boys Over Flowers resolve algum grande problema sistêmico (Tsukushi deveria ter dado uns socos em Tsukasa em alguns momentos), mas ele deixa claro uma mensagem sobre o porquê você deve respeitar os outros.

 

 

Finalmente, Lovely Complex, a história sobre uma garota mais alta que o normal e um garoto mais baixo que o normal que consegue ser grandiosamente charmosa e é um ótimo exemplo de personagens crescendo juntos quanto mais aprendem um sobre o outro. Mas a melhor parte de tudo é que o enredo não se articula apenas no pretexto de "EITA! ELA TEM 1,70M E ELE SÓ 1,50M! O QUE ELES VÃO FAZEEEEEEEER?!?", mesmo que use disso para o humor da série em certos pontos. Na verdade, a história trata as próprias inseguranças dos dois, enquanto um ajuda o outro a superá-las.

 

 

No geral, essas três séries apresentam a ideia de que se apaixonar não é apenas uma situação em que duas pessoas estão tentando sair uma com a outra, mas sim uma oportunidade de reavaliar a si mesmo e o que você está mostrando ao mundo. E, apesar dos animes parecerem datados de diversas maneiras, eles conseguem mostrar a verdade de que se relacionar com alguém e ajudá-la enquanto isso, seja com um amigo ou com seu parceiro, pode ser uma das melhores coisas que você pode fazer.

 


Talles Queiroz (TekeEfe) é redator de notícias da Crunchyroll.pt e estudante de Letras pelo IFSP. Sofrendo por personagens 2D desde sempre, escrevendo sobre esse sofrimento desde 2013. Para surtos mais pessoais, o Twitter é TekeEfe também.

 

Outras Principais Notícias

6 Comentários
Ordenar por:
Hime banner

Teste o Novo CrunchyrollBeta

Quero testar