RESENHA DE MANGÁ: JUJUTSU KAISEN: Batalha de Feiticeiros - Volume 1 (Panini)

O início da história de um rapaz que precisa comer uns dedos e depois ser executado.

Com certeza entre os "shonen de batalha" que estão em alta no momento, um dos mais populares é JUJUTSU KAISEN. Agora que o anime está em exibição, nem se fala o tamanho do sucesso que a obra já está alcançando com o público. Não foi à toa também que a Panini se adiantou e trouxe o mangá para o Brasil logo antes da estreia da adaptação animada.


Vou admitir que ainda não comecei a ver JUJUTSU KAISEN, então tudo que li no primeiro volume do mangá foi novidade. Apesar de ter adorado Kimetsu no Yaiba, outro sucesso recentemente, e acompanhar religiosamente o lançamento de Chainsaw Man no MANGA Plus, JUJUTSU KAISEN não era um título que tinha chamado muito minha atenção (apesar de ter minha curiosidade), mas agora estou tendendo a dar uma chance maior para a série.


Bom, vamos introduzir um pouco do mangá. JUJUTSU KAISEN é uma série publicada na famosa revista Shonen Jump, casa de títulos como One Piece, Naruto, Dragon Ball, o próprio Kimetsu no Yaiba, etc. Bem, vocês sabem, títulos que normalmente fazem sucesso estrondoso. O mangá de Gege Akutami ainda está em lançamento no Japão, com 13 volumes até então. No Brasil, a obra é publicada desde agosto e por enquanto conta com dois volumes (o terceiro está programado para esse mês).

 


Sobre a história, acompanhamos Yuuji Itadori, um estudante comum do ensino médio que, apesar de atlético, decide participar do Clube de Ocultismo da escola. Certo dia, o clube acaba se envolvendo com assuntos que vão muito além da compreensão deles e são pegos em uma situação de vida ou morte. E, para piorar, tudo isso acontece mais ou menos ao mesmo tempo que a morte do avô de Yuuji, que deixa últimas palavras bem marcantes para o rapaz.


Itadori, com a ajuda de Megumi Fushiguro, um membro dos feiticeiros jujutsu, tenta lidar com a poderosa maldição na escola. No processo, Yuuji acaba engolindo um dedo de Sukuna, uma das criaturas mais poderosas entre as maldições e que estava envolvida com o aparecimento no colégio. Fushiguro achava que Itadori seria consumido pelo poder de Sukuna, porém o rapaz inesperadamente consegue controlá-lo e, assim, a nova vida de Yuuji de fato se inicia... sob algumas circunstâncias como: uma pena de morte, comer alguns (20) dedos de Sukuna e... se matricular na escola de feiticeiros jujutsu depois de levar uma surra de um boneco. Coisas assim. 


Apesar de não ter nenhum destaque excepcional que o separe de outras obras semelhantes, JUJUTSU KAISEN é bastante divertido e, nesse primeiro volume, mostrou personagens cativantes. Os dois já citados são promissores, mas meus favoritos na leitura com certeza foram o professor Gojo e Nobara Kugisaki, companheira de classe de Itadori e Fushiguro. As interações entre eles são bem divertidas e prometem se desenvolver em algo interessante no futuro.

 

As batalhas mostradas também foram bem atrativas. As diferenças entre o trio principal são bem notáveis, principalmente de Yuuji para os outros dois. Enquanto Yuuji é completamente um novato nesse mundo e só sabe usar sua força bruta para lutar contra as maldições, Kugisaki e Fushiguro já mostram um aspecto mais técnico, conseguindo usar feitiços. Os feitiços são introduzidos de forma competente, porém, como ainda é o início da obra, é perceptível que ainda há muito que se mostrar sobre esse aspecto nos capítulos futuros. Yuuji até mesmo ganha uma arma "mágica" pra poder lidar melhor com as maldições (apesar de que não me importaria se ele continuasse socando e chutando espíritos do mal, parece bem divertido também).

 

No final do volume, acompanhamos Itadori, Kugisaki e Fushiguro numa situação bastante perigosa e já dá uma impressão bem assustadora de que alguém deve até mesmo morrer na batalha que está por vir. Infelizmente o final da batalha não é mostrado nessa primeira edição, então o jeito por enquanto vai ser dar uma olhada no que vem por aí na adaptação para anime (ou correr para conseguir o volume 2 do mangá). Estou bem curioso para continuar a obra.

 


Sobre a edição da Panini, ela vem no padrão atual da editora, nas dimensões 13,7 x 20 cm, papel offwhite e capa cartonada. O preço atual da obra é R$22,90 e, como já citado, tem dois volumes até o momento.


A adaptação do texto está ok, apesar de algumas vezes parecer um pouco artificial. Porém, nos momentos de ação e de humor consegue destacar bem para o que o mangá veio. O problema fica um tanto nos diálogos mais comuns da história. Só um erro de revisão de texto me saltou aos olhos, então nesse aspecto a leitura deve fluir bem como um todo.


O primeiro volume acompanha um marcador de páginas e também um pôster especial. Confira abaixo uma foto do primeiro volume com o pôster e o marcador:

 


Quem quiser acompanhar a história de JUJUTSU KAISEN também pelo anime, a adaptação animada do mangá está atualmente em exibição aqui na Crunchyroll.pt, com episódios legendados saindo em dia com o Japão e também com dublagem expressa em português.

 

O primeiro volume de JUJUTSU KAISEN foi fornecido pela Panini para a Crunchyroll Notícias.

 


Talles Queiroz (TekeEfe) é redator de notícias da Crunchyroll.pt e estudante de Letras pelo IFSP. Sofrendo por personagens 2D desde sempre, escrevendo sobre esse sofrimento desde 2013. Para surtos mais pessoais, o Twitter é TekeEfe também.

Outras Principais Notícias

3 Comentários
Ordenar por: