Como realmente são as palestras das editoras?

As palestras estão presentes na maioria dos grandes eventos de anime e facilitam a comunicação entre a editora e o público

Recentemente estivemos presentes no evento Anime Friends 2016, em São Paulo, com o stand da Crunchyroll, e marcamos presença no nosso Twitter também, o @crunchyroll_PT, fazendo cobertura das palestras das editoras. Mas... como realmente são essas palestras? Como funcionam? Devemos nos importar com elas?

 

As palestras das editoras estão cada vez mais presentes nos grandes eventos de anime e, apesar do preço não estar muito acessível para uma boa parte das pessoas por diversos motivos, a presença e o interesse do público está crescendo aos poucos. Isso porque o contato das editoras com os colecionadores e amantes de mangás está aumentando, graças às redes sociais e às próprias palestras.

 

Pesquisas para saber o gosto do público, receber sugestões de novos mangás para serem lançados no Brasil, saber os relançamentos mais desejados... Tudo isso é muito recente e ótimo para o mercado brasileiro de mangás, mas as palestras diminuem ainda mais esse espaço entre editoras e leitores, melhorando a comunicação entre ambos. Muitas pessoas não sabem, inclusive, que as mesmas são abertas ao público, e não apenas para a imprensa.

 

Esses encontros com as editoras acontece da seguinte forma:

 

 

A editora envia um representante (geralmente um gerente, tradutor ou o próprio dono) para falar sobre a empresa e outros assuntos, como lançamentos e/ou relançamentos, atrasos, mudança de peridiocidade, problemas com o mercado nacional e/ou internacional e sobre como o papel está absurdamente caro (esse assunto começou a ficar extremamente frequente após a crise brasileira começar).

 

Em caso de lançamentos imediatos (no dia do evento), o representante leva o mangá para mostrar ao público. Já em lançamentos futuros, podem mostrar como é a edição japonesa, para termos uma noção de como será o mangá na versão brasileira. O mesmo pode acontecer com relançamentos, caso a obra seja republicada em uma edição semelhante à japonesa.

 

Após a apresentação planejada da palestra, perguntas são feitas pelo público. Qualquer um que estiver assistindo, pode questionar algo, ou até mesmo apenas elogiar o trabalho da editora (acontece com frequência). E dica da Crunchyroll: evite perguntar coisas como "Vocês têm interesse de trazer o mangá X?". Primeiro porque eles possuem sim interesse, segundo que é difícil responderem essa questão por vários motivos.

 

Geralmente a parte final da palestra da editora é marcada por sorteios de mangá, pôsteres e/ou marca-páginas. Algumas editoras sorteiam até boxes com vários volumes de mangá de uma determinada obra. Na maioria das vezes o sorteio é realizado por perguntas relacionadas aos títulos, ou então por quem está fazendo aniversário (utilizado em casos com falta de criatividade).

 

 

Após o término da palestra muitas pessoas vão conversar com os representantes das editoras sobre outros assuntos, inclusive alguns tradutores conseguem entrar nas editoras com o contato que fazem após as palestras. Caso você saiba japonês e esteja interessado em traduzir mangás, é um bom momento para entregar um currículo ou apenas dar seu contato.

 

O contato mais próximo com as editoras e seus gerentes e donos é extremamente importante para o crescimento do mercado nacional de mangás, pois quando a editora conhece mais o público, maiores as chances dela trazer o que o mesmo pede.

 

E é claro que esperamos que tragam JoJo.

 


Gabriel F Gonzales (ou apenas yushuu) é colaborador na redação da Crunchyroll.pt, amante de livros e nerd desde criança. Pronuncie corretamente Cthulhu e siga-o no Twitter.

Outras Principais Notícias

2 Comentários
Ordenar por: