Ken Akamatsu, autor de Love Hina, conversou com o governo japonês sobre a liberdade de expressão dos mangás

Ele também sugeriu novos métodos de monetização para mangás

Love Hina

 

No dia 29 de junho, Ken Akamatsu, autor dos mangás de Love Hina e UQ HOLDER, tweetou dizendo que recentemente ele foi convocado pelo governo japonês para discutir sobre mangás e como eles podem ter sucesso para os próximos 10 anos. Akamatsu esteve envolvido como consultor informal do governo japonês no passado em questões relacionadas a mangás sob a perspectiva de um criador. 

 

 

Segue a tradução do tweet acima:

 

“Nesse mês eu fui convidado para participar de uma sessão de perguntas na Câmara dos Vereados, porém ao invés disso um membro da Dieta [o governo japonês] veio me perguntar ‘Quais medidas são necessárias para que o mangá japonês sobreviva no mundo?’ Eu respondi: ‘Antes de tudo e o mais importante: liberdade de expressão. Comparado com outros países, o forte do Japão é sua liberdade criativa. Todavia, com as plataformas estrangeiras se tornando cada vez mais dominantes, eu gostaria de evitar uma situação em que as obras japonesas sejam regulamentadas por padrões estrangeiros.”

 

Akamatsu disse que para que os mangás continuem por mais 10 anos, manuscritos originais de séries de mangás deveriam ser preservados, exibidos e monetizados em uma espécie de Centro Nacional do Mangá. Segundo ele, todos os membros do governo ali presentes concordaram com a ideia.

 

No passado, Akamatsu liderou a marca "Doujin" para a capa dos volumes de mangá, mostrando que o criador original da série aprovou o uso de sua série para trabalhos de fãs. A primeira série a usar a marca na primeira impressão foi UQ HOLDER do próprio Akamatsu.

 

© Ken Akamatsu/Kodansha Ltd.

Fonte: CRNews

 



Samir “Twero” Fraiha é redator de notícias da Crunchyroll.pt. Formado em Letras e em Artes Visuais, curte animes, mangás e games desde os 5 anos e é fã dos jogos da CyberConnect2. É bem ativo no Twitter como @Twero e também gosta de gravar e editar podcasts.

Outras Principais Notícias

9 Comentários
Ordenar por: