ESPECIAL: 12 Coisas que você pode aprender sobre a História Mundial (e um pouco mais) nos Mangás - Parte 2

Continuamos nosso especial com a segunda parte sobre os mangás de História Mundial e muito mais

Se você ainda não leu a primeira parte do nosso especial, o que está esperando?

 

 

Na primeira parte falamos sobre a existência de mangás e livros feitos expecialmente para explicar algumas partes da história mundial que algumas pessoas já conhecem e outras que sabem pouco ou desconhecem totalmente. Pensando nisso a Editora Shueisha publicou uma série de livros entitulados "World History" (Sekai-no Rekishi).



Hoje iniciamos a segunda e penúltima parte do especial que mostrará como algumas histórias representadas nesses livros nem sempre tentam mostrar o que realmente aconteceu na história, ou às vezes até mesmo recriando as mesmas com personagens fictícios e alterando o rumo do mundo.



7 Coisas que Temos Certeza que Estão Erradas



1- Americanos se curvam quando vão agradecer. Ou, pelo menos, é o que Henry Ford fazia quando Thomas Edison lhe concedeu permissão para desenvolver seu carro.

 

 

 

 

2- Genghis Khan era um cara muito legal. "World History" apresenta o infame regente mongol Genghis Khan como um governante benevolente que buscava unificar as tribos mongóis, com um "grande coração" em vez de apenas usar a força. Ele impede o amigo Jamukha de matar prisioneiros de guerra, porque "eles foram lutar por suas próprias razões. Não é como se eles tivessem rancor contra nós ou algo assim." Ele quer acabar com o derramamento de sangue e a guerra nos Estepes e chora quando ele próprio executa Jamukha por lutar contra ele. Na realidade, é claro, os mongóis eram nômades sanguinários temidos em todo o Velho Mundo por sua destruição impiedosa e Genghis Khan não foi exceção. Mas não dá para esperar que um mangá para crianças consiga retratar tudo isso em imagens.

 

 

 

 

3- Foi assim que o papa medieval e o imperador do Sacro Império Romano se correspondiam. O Livro 6 tem um capítulo inteiro sobre a questão das investiduras, um evento famoso entre os medievalistas e Europeus, mas um tanto obscuro na América. Uma vez que a Igreja tinha tanta autoridade secular na Idade Média, e o imperador do Sacro Império Romano tinha o apoio da Igreja, as hierarquias eclesiásticas e seculares foram se misturando. Isso levou o Sacro Imperador Romano a nomear os bispos. Nos anos de 1000, um papa forte, chamado Gregório VII, tentou nomear os bispos no lugar do Imperador, levando a uma disputa acirrada entre os dois líderes, o que dividiu o Império. "World History" retrata isso em termos cômicos, com o papa cacarejando de alegria com a possibilidade de enviar o Imperador para o inferno e o imperador fantasiando sobre arrancar o manto do papa dando-lhe um bom pontapé no traseiro.

 

 

 

 

4- Homens brancos ricos em 1700 usavam bigode. Pelo menos de acordo com o Livro 14. Não tenho muita certeza do motivo para ele ter feito isso, mas minha teoria é que desde que os pelos faciais eram moda quando o Japão se abriu para o Ocidente no final de 1800, essa aparência foi assumida como sendo mais difundida do que realmente era. No início, eu estava incomodado quando mostrou fundadores genéricos com bigodes, mas a pior ofensa foi o bigode do rei da Espanha, Carlos III.

 

 

 

 

5- Era assim que se parecia George Washington. Em geral eu sinto que "World History" faz um bom trabalho em retratar figuras históricas, mas ocasionalmente faz algumas escolhas artísticas estranhas. Na capa eu pensei que era para ser Thomas Jefferson em primeiro lugar. Há até um retrato dele no livro para mostrar quão diferente ele realmente parecia!

 

 

 

 

6- Imperadores Bizantinos usavam carimbos. Aqui vemos um Imperador Bizantino reconhecendo Carlos Magno como um verdadeiro "Imperador Romano" com um carimbo japonês em kanji.

 

 

 

 

7- Harry Truman também tinha um bigode. Sério, esses caras têm tara por bigodes?

 

 

 

 

Haviam algumas outras coisas interessantes que descobri ao ler estes mangás, mas nenhuma delas realmente se encaixam nos dois especiais publicados aqui. Elas são muito interessante para deixar passar assim, por isso serão mencionados na última parte do especial.

 

 

Tradução feita a partir do texto original presente aqui.


Diego Silva é redator da Crunchyroll.pt e também é apaixonado por Mangás e Games.

Outras notícias principais

1 comentário
Ordenar por:
Hime banner

Experimenta a nova Crunchyroll Beta

Quero experimentar