[Review] Zetman - Vol 1

A caminhada de um herói?

Depois de Video Girl Ai e DNA² é a vez de mais um mangá de Masakazu Katsura chegar nas bancas brasileiras. Zetman, considerado por muitos sua maior obra. O mangá foi publicado originalmente na revista Shuukan Young Jump entre 2002 e 2014, quando foi anunciado o encerramento do primeiro ato da história, fechada com 20 volumes. No Brasil a JBC anunciou a obra completa com 20 volumes.

 

Zetman é uma história que trata de temas sérios e problemas reais da sociedade contemporânea. Focado no público jovem e adulto, o mangá também lida com elementos sobrenaturais e ficção científica, mas acima de tudo, nesse primeiro volume o autor mantén os pés no chão e se foca no desenvolvimento dos personagens centrais da obra nos apresentando seus medos, conflitos e desafios enquanto uma trama sombria sobre assassinatos e experiências genéticas em seres humanos se desenrola em segundo plano.

 

 

Zetman

Capa do primeiro volume da edição brasileira

 

Jin é um garoto pobre que vive com seu avô em uma comunidade carente e, para sobreviver, sai pela cidade à procura de pessoas em perigo, as quais ele pede uma pequena recompensa para ajudar usando sua força sobre-humana. Às vezes Jin consegue uma boa grana, mas nem sempre essa sua ajuda é bem recebida. Somos apresentados então a um cenário bem típico do subúrbio das grandes cidades, onde a violência é uma ameaça constante e as pessoas se tornam cada vez insensíveis e egoístas. 


Konoha e Jin

Mesmo em meio a essa sociedade distorcida ainda existem pessoas de bom coração, como a pequena Konoha e sua família, que se esforçam para ajudar os necessitados, oferecendo-lhes um mínimo de dignidade.

 

Konoha ouviu histórias sobre Jin através de outros moradores de sua comunidade e o que mais deseja é conhecer pessoalmente seu "príncipe encantado", aquele por quem vem nutrindo grande admiração.

 

Apesar de acabar chegando à conclusões diferentes do que imaginava sobre seu herói, esse encontro entre eles certamente será lembrado e vai ser muito importante para o futuro de ambos.

 

Enquanto isso, um homem rico e aparentemente importante, junto com vários capangas, visita favelas em busca de um jovem com uma marca estranha na mão, um Z.E.T... Supostamente esse jovem tem alguma ligação com recentes casos de assassinato que estão assustando a população, casos em que as vítimas são totalmente retalhadas, de forma cruel e sanguinária.

 

O primeiro volume de Zetman é uma grande introdução para uma trama complexa que deverá ser profundamente explorada nos próximos volumes. O enredo se desenvolve de maneira intrigante com algumas reviravoltas interessantes e o desenvolvimento da relação entre Jin e outros personagens importantes, como seu avô, sua amiga Konoha e, principalmente, Akemi, uma linda mulher que ele salva em uma de suas missões pela cidade.

 

A trama que diz respeito ao projeto Z.E.T foi introduzida de forma bem sutil e poucos detalhes são revelados sobre esse assunto. Tudo que sabemos é que foi um ser criado em laboratório com capacidades sobre-humanas e que, de alguma forma, fugiu do controle de seus criadores. Além do Z.E.T, outros seres, chamados Players, também estão envolvidos nessa trama e quando Jin se vê obrigado a entrar em conflito com uma dessas aberrações, sua inocência infantil é colocada à prova.

 

É aí que ele descobre que o mundo pode ser bem mais cruel do que poderia imaginar.

 

Jin e seu avô

 

Após alguns acontecimentos traumáticos, Akemi pode se tornar sua última esperança de encontrar algum sentido em sua vida. Ela vê em Jin a possibilidade de tapar uma ferida profunda em seu coração e Jin poderá encontrar nela uma figura materna que nunca sonhou conhecer. Akemi foi a personagem mais interessante introduzida nesse primeiro volume e estou ansioso para ver o que vai acontecer com eles daqui para frente.

 

Quem já leu outras obras de Masakazu Katsura encontrará em Zetman uma história bem diferente dos outros mangás do autor que já foram publicados no Brasil, mas podemos relacioná-los facilmente pelo traço característico do autor, principalmente quando se trata de mulheres. A arte do mangá é muito bonita, com traços firmes e detalhados, a organização dos quadros normalmente é limpa e objetiva, o que ajuda a estabelecer um bom ritmo de leitura que só é quebrado nas cenas de ação, que possuem quadros maiores (às vezes de página inteira) com desenhos cheios de expressão e movimento.

 

Ler esse primeiro volume foi uma ótima experiência e ficou aquele gostinho de quero mais no final. O mangá tem muito potencial e vai fazer parte da minha lista de leitura prioritária para os próximos meses. Qual será a relação entre Jin e o projeto Z.E.T.? Quem são os Players e qual o objetivo dos cientistas por trás de seu desenvolvimento? Essas e outras questões só poderão ser respondidas ao longo dos próximos volumes.

 

Jin e Akemi

 

Ficha Técnica

História e Arte: Masakazu Katsura
Status no Japão: Completo; 20 volumes
Periodicidade: Mensal
Editora no Brasil: JBC
Editora no Japão: Shueisha
Formato: 12 cm X 18 cm, cerca de 260 páginas, 8 páginas coloridas
Preço: R$ 17,50
Classificação etária: 18 anos
Avaliação: 9/10

 

© 2002 by Masakazu Katsura


Fábio[portuga] é redator de notícias para a Crunchyroll.pt, e conheceu Zetman em sua época de scanlator; ele ficou muito feliz em finalmente ter o mangá em suas mãos nessa edição tão bonita. Visite o seu perfil e siga-o no Twitter: @portugassis. Clique aqui para ler outros posts do autor.

 

Etiquetas
review, zetman, mangá, brasil, jbc
Outras notícias principais

6 comentários
Ordenar por: