RESENHA: Como o anime de So I'm a Spider, So What? usa o tempo narrativo a seu favor

A adaptação da série de light novel de Okina Baba e Tsukasa Kiryu conta sua história de maneira muito fascinante

So I'm a Spider, So What?

 

 

Desde que o anime de So I'm a Spider, So What? foi anunciado, eu imediatamente fiquei de olho nele e ansioso para sua estreia. Uma pessoa que reencarna como um monstro em uma típica dungeon de um RPG de fantasia e que gradativamente vai evoluindo não parece ser nenhuma novidade. Já vimos o Rimuru de That Time I Reincaned as a Slime tirar isso de letra, então o que esse anime protagonizado por uma aranha teria de diferente? Bom, não sei se foi pelo visual fofo como a protagonista se vê (e como a vemos na maioria das vezes), ou por ela penar bem mais do que nosso amigo gelatinoso para sobreviver neste lugar infernal, cheio de criaturas centenas de vezes maiores e milhares de vezes mais poderosas, o fato é que este anime foi a minha grande aposta para os animes da Temporada de Inverno de 2020. E como fiquei feliz em ter apostado na nossa guerreia aracnídea.

 

So I'm a Spider, So What?, que adapta a série de light novels escrita por Okina Baba e ilustrada por Tsukasa Kiryu, é um anime cheio de pontos fortes. A começar pela sua protagonista, que permanece sem revelar seu nome e comumente é chamada de Kumoko pelos espectadores. Não é exagero dizer que ela carrega o anime pelas costas, não apenas pelo esforço herculano que ela faz para superar todo tipo de desafio (acreditem, ela pena e muito! Dá até dó do quão acabada ela fica depois das lutas), mas principalmente por seu carisma. A pessoa que ela era na vida passada podia ser considerada uma típica estudante reclusa jogadora de videogame, que realiza monólogos intermináveis consigo mesma. Isso acaba ajudando-a a lidar com a realidade atual de ter que se virar sozinha em uma caverna onde tudo e todos querem matá-la. Meus sinceros parabéns tanto à Aoi Yuuki como à Pamella Rodrigues (a voz original e sua dubladora na versão brasileira, respectivamente) por deixarem a aranha tão carismática e espontânea, cativando todo mundo que assiste. Ser responsável por boa parte de todos os diálogos de um anime é um trabalho e tanto.

 

A protagonsita de So I'm a Spider, So What?

 

Só de ver a Kumoko lutando, evoluindo, falando e crescendo (tanto como monstro e como personagem) já me daria por satisfeito em acompanhar o anime, mas eis que a série resolve nos apresentar ainda no primeiro episódio um outro núcleo de história: o núcleo dos humanos.

 

O que se sabe é que todos os alunos e a professora de uma determinada sala de aula no Japão acabaram reencarnando neste mundo de fantasia, algumas como pessoas, outras como monstros (como é o caso da nossa protagonista). Esse núcleo dos humanos serve inicialmente para nos dar mais contexto daquele mundo em que eles se encontram. Afinal de contas, a Kumoko passa boa parte de seu núcleo só lutando para sobreviver e não tem como ela descobrir em um primeiro momento porque ela foi reencarnar lá ou que tipo de mundo é aquele.

 

À primeira vista, as pessoas podem ficar desinteressadas com este núcleo, até querendo ignorá-lo, para focar só no da aranha. Eu não as culpo, afinal a carisma da Kumoko é realmente avassaladora e acaba eclipsando os demais personagens do outro núcleo. Mas não se deixem levar por esse pensamento, pois mais adiante acabamos aprendendo qual é a real importância desse núcleo dos humanos.

 

So I'm a Spider, So What?

A maioria dos alunos reencarnaram como humanos, salvo algumas exceções, como a professora que virou elfa e a dragão da terra Fei, mas todos estão juntos no outro núcleo narrativo

 

A seguir, começaremos a tratar de algo mostrado a partir do episódio 9, então haverá SPOILERS DO EPISÓDIO 9! Estejam avisados.

 

Existe uma peça de informação que é repassada ao espectador bem de leve no núcleo humano no primeiro episódio e que pode facilmente passar batido (mas que fica bastante claro no episódio 9): é dito pelos outros humanos que eles todos viveram suas vidas completas por pelo menos 15 anos naquele mundo. Eles nasceram, cresceram e estão desenvolvendo suas habilidades, sem nunca terem se esquecido de como eram suas vidas passadas no Japão. Isso não parece ser grande coisa para se dar atenção, pois chegamos a ver a Kumoko eclodindo de seu ovo e dando seus primeiros passos nessa nova vida.

 

 

É aí que o episódio 9 chega como um caminhão que transporta pessoas desavisadas para mundos paralelos. No começo desse episódio, o Herói Julius conta uma história de como conseguiram a teia de aranha especial usada para confeccionar seu cachecol, dado de presente por sua mãe. 15 anos atrás, alguns aventureiros conseguiram algumas bolas de teias de uma aranha que guardava um ovo de dragão, que viria a eclodir e dali nasceria Fei, a jovem dragão da terra que acompanha Shun e que também era uma das alunas reencarnadas. Essa história não é estranha, pois chegamos a ver isso acontecer no núcleo da protagonista no episódio 2. É então que a ficha cai: não se trata apenas de dois núcleos diferentes da história que se alternam ao mesmo tempo, mas o núcleo humano efetivamente se passa 15 anos no futuro, enquanto no da aranha, nós acompanhamos quase que diariamente sua vida desde que ela saiu do ovo!

 

So I'm a Spider, So What?

 

Dada essa e outras situações que acontecem nesse episódio, uma pergunta maior surge na cabeça de quem está assistindo, e acaba virando um dos grandes motivos de ver com mais atenção o núcleo humano: onde diabos está a protagonista aranha depois desses 15 anos?

 

O episódio 9 é bastante sacana e começa a plantar algumas sugestões de quem a Kumoko talvez seja nesse tempo futuro, mas como nada é afirmado de cara, ele acaba deixando o espectador sempre com um pé atrás para elaborar suas teorias conforme vemos mais desse núcleo dos humanos e do núcleo da aranha. Some isso ao momento mais inusitado que é a Administradora D. iniciando um diálogo com a protagonista por meio de um smartphone e tecendo comentários quase como alguém que quebra a quarta parede, como se tudo aquilo fosse um grande jogo.

 

Em um primeiro momento, isso pode parecer até cômico (e a personalidade solta da Administradora certamente faz qualquer um esboçar um sorriso também, ainda mais conversando com a Kumoko), mas a realidade é que isso instaura uma dúvida e um medo primordial na protagonista que até então lutou contra deus e o mundo para sobreviver: tudo aquilo estava seguindo os desígnios de uma força maior? De repente, ela não tem controle se viverá ou se morrerá no dia seguinte? Era divertido ver os status como um jogo e tal, mas de repente isso tudo pode revelar uma verdadeira realmente assustadora.

 

Apesar de bem-humorada, a Administradora D tem sua própria agenda e não liga de fazer das personagens desse mundo suas marionetes

 

O anime de So I'm a Spider, So What? já estava ótimo com sua premissa inicial, mas quando o espectador se toca da real importância dos dois núcleos narrativos e da separação de 15 anos que há entre eles, colocando um fator de dúvida que intriga a todos em quererem descobrir tanto o que a arranha fará nesse meio-tempo, como enfim descobrir onde ela está, qual forma ela evoluiu e que ações ela está fazendo. Tudo isso embalado com batalhas muito bem boladas e uma aranhazinha cheia de carisma, garra e determinação para superar qualquer desafio que esse mundo jogar para cima dela!

 


 

Você pode acompanhar como anda o desdobramento de So I'm a Spider, So What? aqui na Crunchyroll.pt, que exibe o anime tanto na versão legendada como dublada em português brasileiro, com novos episódios todas as sextas-feiras!

 

So I'm a Spider, So What?

 

Sinopse:

 

Eu, a protagonista, era só uma garota colegial como qualquer outra, mas acabei reencarnando num monstro-aranha de um mundo de fantasia. E como se isso não fosse o bastante, eu acordei numa dungeon cheia de monstros tenebrosos. Munida apenas do meu conhecimento humano e do meu inabalável otimismo, eu serei obrigada a usar minhas teias e armadilhas para derrotar monstros muito mais forte que eu só para ficar viva... Esta é a história de uma garota com uma incrível força mental, tentando sobreviver num labirinto como uma das criaturas mais fracas que existem!

 

 

© Okina BABA, Tsukasa KIRYU/PUBLISHED BY KADOKAWA/So I'm Spider, So What? PARTNERS

 

 


Samir “Twero” Fraiha é redator de notícias da Crunchyroll.pt. Formado em Letras e em Artes Visuais, curte animes, mangás e games desde os 5 anos e é fã dos jogos da CyberConnect2. É bem ativo no Twitter como @Twero e também gosta de gravar e editar podcasts.

Outras notícias principais

4 comentários
Ordenar por:
Hime banner

Experimenta a nova Crunchyroll Beta

Quero experimentar