Kodansha vence processo na justiça contra site pirata e ganha indenização de 6 milhões de reais

Responsáveis pelo site já haviam sido considerados culpados por violação de direitos autorais

O Tribunal do Distrito de Osaka concedeu à Kadansha a sua reivindicação de 160 milhões de ienes (pouco mais de 6 milhões de reais) contra os três administradores do site pirata Haruka Yume no Ato, que disponibilizava mangás online. Os três responsáveis pelo site já haviam recebido sentença de culpa por violação de direitos autorais em janeiro deste ano, e o tribunal negou seu recurso no dia 1 de novembro.

 

Na sentença estabelecida em janeiro, os três homens tinham recebido penas de prisão diferentes: três anos e seis meses para um, três anos para o segundo e dois anos e quatro meses para o terceiro, sem chance de suspensão.

 

 

 

Em outubro de 2017, nove departamentos de polícia no Japão trabalharam juntos e prenderam nove suspeitos por violação da Lei de Diretos Autorais do país por causa do site Haruka Yume no Ato, um dos maiores portais de pirataria do Japão. O site fornece e agrega acesso a vários conteúdos piratas. Embora o site em si não fosse ilegal nos termos da lei atual, os operadores foram presos por distribuir os meios de comunicação pirateados para os quais o site forneceu links. As editoras Kadokawa, Kodansha, Shueisha, Shogakukan, Square Enix e Hakusensha uniram suas forças no processo.

 

A Associação de Direitos Autorais do Japão estimou que, no momento da prisão, o site já tinha causado 73.1 bilhões de ienes de prejuízo por meio de vendas perdidas (quase 3 bilhões de reais).


Fonte: ANN

Etiquetas
kodansha, pirataria
Outras notícias principais

1 comentário
Ordenar por: