Servidor público japonês é suspenso por 6 meses após escrever light novels

O homem ganhou cerca de 160 mil reais com suas light novels

Eromanga Sensei

 

A NHK divulgou hoje que um funcionário público japonês de 28 anos que trabalhava na cidade de Hiratsuka, na província de Kanagawa, foi suspenso por 6 meses sem remuneração depois de publicar quatro light novels que lhe renderam 3,2 milhões de ienes (cerca de 160 mil reais) — tudo isso enquanto estava usando o tempo de um afastamento por motivos de saúde de seu emprego em tempo integral para escrever, infringindo a Lei do Serviço Público Local.

 

No Japão, um emprego no serviço público é uma das carreiras mais procuradas, com apenas algumas vagas disponíveis por ano para recém-formados e um processo exaustivo de concursos para sequer ser considerado. O plano de carreira é conhecido por ser muito estável, com promoções fáceis por tempo trabalhado em vez de mérito ou qualquer outra coisa.

 

A Lei do Serviço Público Local não permite que os funcionários públicos tenham outro trabalho de meio período, pois isso pode interferir em seu trabalho atual, mas permite que os funcionários públicos exerçam atividades de escrita, inclusive remuneradas. Os problemas surgiram quando o homem de 28 anos em questão estava ausente do trabalho com atestado de problemas médicos, o que faz com que o jovem receba uma "ajuda de custo" para ficar em casa e se recuperar - e também não permite que ele faça qualquer outro trabalho no período, para se recuperar o quanto antes.

 

eromanga sensei

 

As autoridades de Hiratsuka receberam uma denúncia anônima em junho de 2021, enquanto o funcionário estava de licença. Eles iniciaram uma investigação logo depois, descobrindo que ele não apenas escreveu quatro livros, mas também publicou 256 histórias em um site de light novels na internet, além de ter divulgado suas histórias no Twitter mais de dez mil vezes. As autoridades de Hiratsuka suspenderam o homem no dia 20 de outubro por 6 meses sem remuneração devido à violação das Leis do Serviço Público Local, mas ele optou pela demissão.

 

O funcionário, que era gerente no local em que trabalhava, acreditava que não precisava obter permissão para escrever seus livros, pois "há muitos escritores de light novels que trabalham como funcionários públicos". A cidade de Hiratsuka se desculpou pelas ações do homem, declarando que esta é uma situação extremamente lamentável e que farão de tudo para que isso não se repita.

 

Fonte: NHK


José S. (Skarz) é o editor-chefe da Crunchyroll.pt. Formado em Letras, não consegue se lembrar de um momento da sua vida em que mangás e animes não fizeram parte dela. Você pode encontrá-lo no Twitter em @_skarz.

Etiquetas
light novels
Outras notícias principais

8 comentários
Ordenar por:
Hime banner

Experimenta a nova Crunchyroll Beta

Quero experimentar